21 Jul 2019
Sexta, 03 Maio 2019 14:50

Estupro e impunidade

Não é uma “cultura”: esse crime tem nome e sobrenome.

Publicado em Perspectivas

Levantamento na zona oeste do Rio de Janeiro, considerada um laboratório das primeiras operações da intervenção federal na segurança da cidade, mostra que roubos, furtos, mortes violentas e apreensões voltaram a crescer depois da saída das Forças Armadas. Os dados, somados a operações desastradas, como a que resultou na morte do estudante Marcos Vinícius da Silva, 14 anos, atingido por uma bala na comunidade da Vila Pinheiro, Complexo da Maré, mostram que o modelo da intervenção ainda está longe de obter sucesso. No entanto, ao menos mudou um pouco a situação anterior, em que o Estado deixava o território entregue passivamente ao crime organizado. 

Publicado em Assuntos Nacionais
Segunda, 25 Junho 2018 14:06

Uma camisa manchada de sangue

Um estudante morre assassinado a tiros, no caminho para a escola, no complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Ele se chama Marcos Vinícius da Silva e tem 14 anos. Moradores afirmam que, na hora do fogo cruzado, tiros estavam sendo disparados do helicóptero da Polícia Civil, que do alto dava apoio à operação e que, segundo a polícia, também se destinava a garantir a "segurança" de toda a população. Ainda não se sabe de onde partiu o tiro que matou Vinicius. Segundo sua mãe, a empregada doméstica Bruna da Silva, antes do último suspiro, o menino disse que o tiro partiu de um blindado. Nas redes sociais, já começam a circular posts dizendo que o estudante tinha ligações com o tráfico.

Publicado em Perspectivas
Quinta, 15 Março 2018 20:31

Poder de polícia

Publicado em Jcaesar

Quando anunciou a intervenção no Rio de Janeiro, o presidente Michel Temer colocou as Forças Armadas como o grande  trunfo para debelar a violência e combater o crime organizado. Ao tomar posse hoje, o interventor nomeado, general Walter Braga Netto, mostrou que a primeira preocupação em seu plano é preservar as Forças Armadas do desgaste em uma missão para a qual os militares não têm vocação nem obrigação constitucional. Segundo ele, a sua principal tarefa será reorganizar as forças civis de segurança, no papel de inteligência da operação,  coordenada com o recém criado Ministério da Segurança Pública. Segundo Netto,as tropas não irão ocupar as favelas. Continuarão existindo operações pontuais, além de um trabalho de reequipamento da polícia civil e militar, valorização dos policiais, recolocação dos quadros em funções próprias de policiamento e reestruturação das Unidades de Polícia Pacificadora, as UPPs.

Publicado em Assuntos Nacionais
Quarta, 21 Fevereiro 2018 14:42

Apreensão ou morte

Publicado em Jcaesar
Terça, 05 Dezembro 2017 20:27

PCC mata, ameaça e corrompe

Na terça, dia 5, dois presidiários em ação orquestrada pelo Primeiro Comando da capital, o PCC, assassinaram um ex-dirigente da própria organização, no pátio da penitenciária de Presidente Venceslau. Edilson Nogueira Borges, de 44 anos, conhecido como o "Birosca", que já foi considerado o segundo homem da hierarquia do PCC, após Marco Herbas Camacho, o Marcola, foi agarrado no pátio durante o banho de sol e morto rapidamente a golpes de estilete.

Além de queimar o antigo colaborador, a organização instala o terror nos presídios com o assassinato de funcionários e coloca policiais em sua folha de pagamento.

Publicado em Assuntos Nacionais
Página 1 de 2