15 Set 2019
Quinta, 12 Setembro 2019 23:46

Um governo hospitalizado

O presidente Jair Bolsonaro, que segundo disse seu filho Eduardo tinha previsão de alta nesta sexta, deve ficar hospitalizado pelo menos até o início da semana que vem. De acordo com Eduardo, a operação da hérnia que sobrou das cirurgias anteriores, resultado ainda da facada na campanha eleitoral, foi novamente grande. Bolsonaro teve o abdômen todo reaberto. "Mas ele continua não conseguindo se fazer de vítima", disse o filho.

Publicado em Assuntos Nacionais

A República segue com sua campanha para denunciar a situação do Brasil. Mande também sua foto dos brasileiros nas ruas para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Esta foi tirada em Pouso Alegre, Minas Gerais.

Publicado em Foto do dia
Quinta, 15 Agosto 2019 16:31

Contra a liberdade

Publicado em TV República

Assim como o presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Alexandre Frota também é o tipo que gosta de dizer tudo o que pensa, não importam as consequências. Um dos principais articuladores políticos do governo na Câmara, há tempos vinha dizendo-se decepcionado com os rumos do governo. Queixava-se sobretudo da aproximação do presidente com as ideias do franco-pensador Olavo de Carvalho e  com a indicação do filho do presidente, Eduardo, para a função de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Acabou sendo expulso da legenda, segundo o colunista da Folha de S. Paulo, Tales Faria, por iniciativa do próprio Bolsonaro, que teria articulado sua exclusão "pessoalmente".

Publicado em Política

Já era preocupante o fato de o presidente Jair Bolsonaro estar se afastando cada vez mais da ala operacional do governo, incluindo os militares. Agora, ele se afasta da própria realidade, apegado à construção ideológica do mundo como ele o vê. Uma espécie de Doutor Caligari da política.

Para quem nunca viu o filme de Robert Wiene, Caligari é um louco, para quem o mundo distorcido pela própria loucura parece normal. Ao ver o filme pelos seus olhos, o espectador adota sua perspectiva e vai pensando que as coisas são mesmo daquele jeito, distorcidas, quase góticas. Até que se percebe que é apenas o filtro do louco que nos fazia ver assim.

Bolsonaro está ainda na fase de fazer alguns acreditarem que é normal e flerta com a ideia de ampliar sua massa de seguidores fanáticos, com ajuda das redes sociais e pendores para o fascismo. Algo também muito próximo da loucura mais delirante do poder. Mas muita gente vai acordando para a realidade.

O rei vai ficando nu. O último choque que faz acordar o eleitor brasileiro foi a declaração de que ele saberia o destino de Fernando Santa Cruz, pai do presidente da ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz. 

Bolsonaro disse ter informações de que ele teria sido morto não pela ditadura, mas pela "esquerda" - uma deformação da realidade tão flagrante que seria o caso de repúdio geral, não fosse a consternação com o estado mental do presidente.

Publicado em Perspectivas

A Petrobras arrecadou R$ 8,6 bilhões com uma nova venda de ações de BR Distribuidora nesta terça-feira, por meio da qual a empresa passou a ter mais capital privado que estatal.

Publicado em Economia
Quarta, 10 Julho 2019 01:21

Ponto de vista

Publicado em Jcaesar

Na madrugada da sexta-feira, a comissão especial da Câmara terminou de aprovar os destaques da reforma da Previdência, após a aprovação do texto principal, e entregou o parecer do relator, deputado Samuel (PSDB-SP), para votação no plenário. Tudo pode mudar novamente no colegiado da Câmara, mas o fim do primeiro round mostrou uam vitória do ministro da Economia, Paulo Guedes, e uma derrota do presidente Jair Bolsonaro.

A reforma passou pelas comissões, preservada em grande parte - a vitória de Guedes. Já Bolsonaro, mesmo na vitória da proposta do governo, perdeu: na sua única interferência, disse que o governo "errou" ao tirar a aposentadoria especial de policiais e tentou reverter a situação, mas foi derrotado. "É humano", dise Guedes, da tentativa do presidente. "Ele tem coração, esse é o pessal que o apoiava desde o início da campanha."

Publicado em Política

O presidente Jair Bolsonaro participou na noite de quarta-feira de um coquetel em comemoração aos 243 anos da independência dos Estados Unidos, completados nesta quinta-feira, dia 4 de julho.

Publicado em Foto do dia

Até aqui, o presidente Jair Bolsonaro vem sendo tratado por veículos e opinadores de mídia como um político meio desastrado, que teria um relacionamento ruim com o Congresso, dificuldade de fazer acordos políticos, e sem pulso no trato com os franco atiradores que deveriam estar ao lado do próprio governo - em especial, o guru Olavo de Carvalho e Carlos Bolsonaro, filho e mentor de comunicação digital do presidente.

Para esses detratores, Bolsonaro dá cabeçadas desde o começo, expelindo pelo caminho, sem querer, colaboradores de primeira grandeza - casos dos ex-ministros Gustavo Bebbiano e do general Carlos Alberto dos Santos Cruz. E deixaria livres os amigos da onça de maneira inexplicável.

Tudo tem explicação - desde que se aceite o fato de que o inexplicável, na realidade, é de propósito. Passados pouco mais de seis meses de governo, o que parecia  uma série de tropeços vai se configurando agora como um método político. A confusão não é resultado de incompetência. Mesmo o que às vezes parece sem lógica faz parte de uma estratégia, baseada em objetivos, que vão ficando cada vez mais claros.

Publicado em Perspectivas
Página 1 de 16