28 Nov 2021

Ao anunciar que se assumir a presidência do PSDB na convenção de 9 de dezembro decidirá pela retirada do partido do governo federal, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, colocou o presidente Michel Temer contra a parede. Virtual  candidato do partido à presidência em 2018, Alckmin quer descolar-se do atual governo, minado pelas acusações de corrupção e sua impopularidade. De acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sem o apoio dos deputados do PSDB “seria quase impossível, senão impossível” alcançar os votos necessários à aprovação das reformas pretendidas por Temer, a começar pela da Previdência Social.

Com isso, Temer ficaria praticamente à deriva até o final de seu mandato.

Publicado em Política