23 Jul 2019
Segunda, 22 Julho 2019 14:18

Tudo maravilha

Publicado em Jcaesar
Sábado, 20 Julho 2019 23:51

A democracia não resolve tudo

O número de 13 milhões de desempregados no país é hoje o centro das preocupações nacionais, um problema maior que o da corrupção, à qual a crise econômica acabou sendo associada: ambos são resultado das formas variadas de malversação do dinheiro público. Porém, há no ar algo mais grave: a sensação, vinda das profundezas do solo, de que a democracia brasileira não deu certo.

O Brasil é um país que não consegue força para se manter na rota do desenvolvimento sustentável e que, contrariando sua própria base democrática, vive agora jogado de um lado a outro por projetos políticos cuja principal característica, paradoxalmente, é o autoritarismo.

Para sairmos disso, é preciso primeiro entender como chegamos até aqui.

Publicado em Perspectivas
Quinta, 11 Julho 2019 21:16

Corte nos juros

Publicado em TV República

Na madrugada da sexta-feira, a comissão especial da Câmara terminou de aprovar os destaques da reforma da Previdência, após a aprovação do texto principal, e entregou o parecer do relator, deputado Samuel (PSDB-SP), para votação no plenário. Tudo pode mudar novamente no colegiado da Câmara, mas o fim do primeiro round mostrou uam vitória do ministro da Economia, Paulo Guedes, e uma derrota do presidente Jair Bolsonaro.

A reforma passou pelas comissões, preservada em grande parte - a vitória de Guedes. Já Bolsonaro, mesmo na vitória da proposta do governo, perdeu: na sua única interferência, disse que o governo "errou" ao tirar a aposentadoria especial de policiais e tentou reverter a situação, mas foi derrotado. "É humano", dise Guedes, da tentativa do presidente. "Ele tem coração, esse é o pessal que o apoiava desde o início da campanha."

Publicado em Política

O mercado digital tem se mostrado um caminho viável para a diminuição da lacuna entre gêneros na ocupação profissional mundial.

Publicado em Perspectivas

De vez em quando, o mundo dá um passo adiante no processo civilizatório. Um deles aconteceu nesta sexta-feira, quando foi anunciado, após duas décadas de negociações, o acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul. Dessa forma, o presidente Jair Bolsonaro, que anunciou o desejo de deixar o Mercosul e alardeou sua preferência por aumentar as relações comerciais com os Estados Unidos, aconteceu de ser o líder brasileiro a assinar com a UE o mais importante documento comercial do Brasil da era democrática, que elimina barreiras, abre mercados e institui padrões mais altos em outras áreas, como o respeito ao meio ambiente.

Uam vez fato consumado, o presidente logo se passou para a defesa do acordo, que prevê eliminar 90% das barrera alfandegárias entre a Europa e a América do Sul nos próximos dez anos.  "Prometi que faria comércio com todo o mundo, sem viés ideológico", escreveu, no Twitter. "Não foi retórica vazia de campanha, típica da velha política. É pra valer! Estou cumprindo mais essa promessa, que renderá frutos num futuro próximo."

Publicado em Política

Sem poder pagar uma dívida que alcança 98 bilhões de reais, a Odebrecht entrou na segunda-feira (17) com um pedido de recuperação judicial na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Tribunal de Justiça de São Paulo. É o capítulo final de uma história surpreendente. É difícil imaginar que políticos e os empresários a eles associados pudessem pensar que corrupção de tal ordem passaria despercebida e impune. Só há uma razão para o delírio financeiro criado em torno desse incesto: a certeza de controlar de um projeto totalitário, e de que já se tinha o poder absoluto, inclusive sobre a Justiça.

Publicado em Política

Chamou a atenção a participação do general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, no último café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto, promovido pelo presidente Jair Bolsonaro.

Depois de Bolsonaro lamentar uma entrevista dada por Lula na cadeia, na qual o ex-presidente insinuou que a facada em Juiz de Fora poderia ter sido uma armação, Heleno tomou a palavra e fez um discurso inflamado, chegando até mesmo a bater na mesa.

"A presidência da República é uma instituição sagrada", afirmou Heleno. "[...]Um presidente da República desonesto tinha que tomar uma prisão perpétua. Isso é uma canalhice típica desse sujeito. [...] Eu tenho vergonha de um sujeito desse ter sido presidente da República."

Publicado em Perspectivas

O presidente do BNDES, Joaquim Levy, pediu demissão na manhã de domingo, dia 16, depois que o presidente Jair Bolsonaro declarou publicamente que ele estava “com a cabeça a prêmio”. Bolsonaro não gostou da indicação por Levy de Marcos Barbosa Pinto para a diretoria de Mercado de Capitais do banco, porque este foi assessor do BNDES no governo do PT. "Governo é assim, não pode ter gente suspeita", reclamou Bolsonaro, ameaçando "passar por cima" do ministro da Economia Paulo Guedes, chefe de Levy.

Levy foi ministro da Fazenda no governo de Dilma Rousseff - e nem por isso deixou de ser convidado em primeiro lugar. Sua saída acaba sendo um passo em falso do ministro Guedes, responsável pela sua contratação, mas que chegou a lançar no ar a suspeita de que ele poderia estar colaborando com o acobertando de falcatruas cometidas no BNDES dos tempos do PT.

Publicado em Política

Com o ministro da economia Paulo Guedes tirando dinheiro do fundo do tacho, o Congresso aprovou por unanimidade o plano que autoriza o governo federal a realizar operações de crédito com verba extra de R$ 248,9 bilhões.

Com isso, na prática o governo dá um salva-vidas ao presidente Jair Bolsonaro. O governo poderá descumprir a regra de ouro do controle orçamentário, a mesma que deu origem ao processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, baseado nas "pedaladas fiscais".

Publicado em Economia
Página 1 de 20