2 Jul 2020

O trote do Trótski

Por   Qua, 09-Jan-2019

Pouca gente sabe, mas fui sondado para ser ministro do governo Bolsonaro.

Tudo começou quando Olavo de Carvalho, lá na Virginia, navegava na internet e deu com meu blog. Chamou atenção do filósofo mais importante da Astrologia, um artigo que eu escrevera - em tom francamente irônico - sobre a necessidade de dar-se posse de armas aos Quakers. 

Sim, como eles poderiam proteger suas pacíficas sessões de meditação sem uma Magnum na cinta? - defendia eu jocosamente na crônica.

Não vai aqui nenhuma ofensa à inteligência de Olavo (isto, aliás, grande parte do país já promove). Ironia só é entendida pelos ingleses, como é que um bruxo brasileiro exilado na América iria compreender um texto francamente dúbio assim?

De todo modo, soube por jornalistas amigos que Olavo teria feito imediatamente um call com Ernesto Araújo, Frota e Carlinhos Rambo.

"Porra, descobri na internet um cara do caralho pro ministério da Defesa!" - teria berrado ele e dito meu nome em vão.

"Por que ele?" - perguntou o analítico Carlinhos Rambo, meio que botando em dúvida o julgamento do astrólogo idealista metafísico.

"O cara defende que até aqueles maricas dos Quakers metam balas nos outros, porra? Não está bom pra você? Pro teu pai vai tá, cacete, eu aposto!

Ao ouvir a palavra “pai”, Carlinhos Rambo baixou as orelhas e concordou.

"É isso aí, Olavo, vamo queimá essa a galera toda aê!" - teria urrado Frota.

Com a aprovação do meu nome pelo núcleo duro da administração (menos o Frota), o próximo passo seria um contato formal comigo a ser feito pelo general Mourão.

Um dia depois recebi a ligação:

"Tu é comunista, porra?"

"Quem fala?"

"Eu, porra."

"Eu, quem?"

"O Mourão, tu é surdo?"

"Pois não, general? Posso ajudar?"

"Pode ajudar, sim: a acabar com o socialismo na nossa pátria. "

"Não estou entendendo. Isto é trote teu, não é, Paulé? (meu cunhado trocista).

"Que Trótski o quê, rapaz! Tenha compostura pra falar comigo, tá compreendendo?"

Eu não compreendia nada, nem o general, que se irritava mais e mais.

"Vir falar desse comuna arrombado na minha cara? Tu é vermelho, não é não? O Olavo tá ficando é gagá mesmo, eu já falei pro Jair…

E bateu o telefone na minha cara.

Na hora fiquei chateado. Mas agora, vendo o imbróglio todo com menos de uma semana de desgoverno, curti a reprovação.

Além do mais ser ministro da Defesa numa guerra com a Venezuela não é pra mim: sou quase um Quaker.

 

Clique aqui e acompanhe também as casteladas no Twitter!