6 Jun 2020

Conselhos de Malvadeza a um presidente

Por   Dom, 26-Abr-2020
ACM: maquiavel baiano ACM: maquiavel baiano

Conselhos de Toninho Malvadeza para o exercício do poder. Alguém precisa levar a Bolsonaro.

OS 15 MANDAMENTOS DO MAQUIAVEL DO TERREIRO

1. Não confie em alguém cuja mulher não gosta de você.

2. O poder é a maneira de transformar uma idéia em realidade. Mas é só para quem tem apetite. Quem não tem, pode usufruir das mais diferentes oportunidades de mando que não vai conseguir mandar.

3. A arte da política consiste em saber dar a cada um o que ele espera de você. Alguns querem proteção, um emprego por exemplo. Outros querem dinheiro. Há um terceiro tipo que busca o poder, o prestígio, até mesmo um simples carinho. Se você confundir as demandas, oferecer dinheiro a quem quer carinho, ou poder a quem quer emprego, arrumará um inimigo.

4. Fale bem dos amigos todos os dias: fale mal dos inimigos, pelo menos duas vezes por dia.

5. É legítimo bater sempre nos adversários para que não venham a crescer e maltratar seus aliados. Nunca reclame dos golpes recebidos; prepare o troco.

6. As grandes virtudes de um homem são a gratidão e a generosidade. A gratidão o leva a devolver em igual moeda tudo aquilo que recebe. A generosidade o obriga a retribuir em dobro.

7. Quando entrar em uma casa, preste atenção nas crianças, pois nada é mais sincero que olhar delas. Se uma criança o olhar torto, é porque naquele local você não é benquisto.

8. Só se deve brigar para cima, sobretudo em defesa dos mais fracos, pois todos passam a respeitá-lo mesmo quando você não tenha razão. Brigar para baixo não traz vantagem alguma, ninguém toma conhecimento e ainda o chamam de covarde.

9. Salvo em assuntos pessoais, procure sempre escalar amigos para responder às críticas dos inimigos. O aliado será engrandecido e o adversário diminuído.

10. Se apesar dos seus defeitos, você quer que alguém seja seu amigo, não pode exigir que esse amigo seja perfeito.

11. Só guarde reclamação do inimigo. Do amigo, bote tudo para fora, resolva na hora. Se o amigo lhe pedir perdão, perdoe. Fale o que está engasgado e, se for o caso, exija alguma compensação. Mas, depois, esqueça o assunto.

12. Fale sempre a verdade quando alguém lhe pedir algo. Explique o que vai tentar fazer, quando e como. Caso não possa atender o pedido, diga logo que não pode, mas explique o motivo. As pessoas esperam que você se importe, tente, ainda que não consiga.

13. Não se esqueça jamais do amigo que deixou o poder, até porque o fraco de hoje pode ser o forte de amanhã. Niguém é tão forte que não possa perder, nem é tão fraco que não possa vencer.

14. Jamais permita que se fale mal de um amigo perto de você. Reaja imediatamente se isso acontecer.

15. É melhor sofrer no poder do que longe dele.

(A compilação dessas maximas é de minha autoria, publicada originalmente na revista República. Toninho Malvadeza gostou tanto que me pediu o fotolito para ampliar e fazer dois quadros. Um deles pregou na porta de seu gabinete na Presidência do Senado.

O recorte de Sebastião Nery me foi enviado por Guilherme Cunha Costa. Já o conteúdo digital foi encontrado por Túlio Dantas. Grato a ambos.

Aproveito para registrar que minha relação com ACM começou em 1986, quando fui entrevista-lo, ele ministro das Comunicações distribuindo concessões de radio e TV aos parlamentares para formar a base aliada do governo Sarney. Ao não gostar da minha pergunta, quebrou com um soco o gravador, pulou em cima, me derrubou da cadeira e tentou me estrangular. É verdade! E ainda exigiu minha demissão ao Estadão. Mestre Carlos Chagas segurou a onda.

Depois fizemos as pazes. Fui repórter privilegiado de suas informações por anos. Me prestigiava à exaustão. Dizia que eu era petulante, mas admirava minha coragem.

Morreu brigado comigo. Seu ultimo discurso na Tribuna do Senado foi contra minha meiga pessoa. Me acusou de Filho de Satanás. Está registrado nos Anais.