19 Set 2019

"Qual o problema?", pergunta Bolsonaro

  Qui, 22-Ago-2019
O presidente: a Polícia Federal é dele O presidente: a Polícia Federal é dele

O presidente Jair Bolsonaro disse a jornalistas nesta quinta-feira que a prerrogativa de escolher o superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro é dele, e não do ministro da Justiça, Sérgio Moro, ao qual o órgão é subordinado.

"Espera aí, se eu não posso trocar o superintendente, eu vou trocar o diretor-geral", disse Bolsonaro. "Não se discute isso aí."

A Polícia Federal investiga no Rio de Janeiro as contas do filho de Bolsonaro, Flavio, quando era deputado estadual. O Coaf, órgão fiscalizador, identificou depósitos suspeitos em dinheiro vivo nas contas do gabinete de Flávio, manipuladas por um amigo e ex-colaborador do presidente, Fabrício Queiroz, hoje foragido da Justiça.

Bolsonaro editou uma Medida Provisória, que precisa ser aprovada no Congresso para passar, que na prática permite indicações políticas para a direção do Coaf, onde ele não pode remover ninguém com uma simples canetada.

Mandou ainda um aviso público ao diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, sugerindo que pode demiti-lo a seu bel prazer. "Se eu trocar (o diretor-geral da PF) hoje, qual o problema?" - disse. "Está na lei que eu indico e não o Sergio Moro. E ponto final."

Segundo ele, essa troca se dará "na hora certa". "Hoje eu não sei", disse. "Tudo pode acontecer na política."

Para ele a ingerência na PF é apenas mudança. "Quero que se combata a corrupção, que façam as coisas da melhor maneira possível", disse. "Eu não estou acusando ninguém de fazer nada errado. Mas a indicação é minha. Por isso elegeram o presidente da República. Se não pudesse ter ingerência, interferência - para mim é mudança -, seria mantido o anterior, o cara que foi nomeado antes iria ficar até morrer."

"Agora há uma onda terrível sobre superintendência", disse Bolsonaro. "Onze (superintendentes) foram trocados e ninguém falou nada", prosseguiu. "Sugiro o cara de um Estado para ir para lá e dizem 'está interferindo'" [...] "Se é para a não interferência, o diretor anterior, que é o que estava lá com o (ex-presidente Michel) Temer, tinha que ser mantido. Ou a PF agora é algo independente? A PF orgulha a todos nós, e a renovação é salutar, é saudável. O Valeixo pode querer sair hoje. Não depende da vontade dele."

Valeixo e Moro ainda não disseram nada.