17 Out 2019

Mutirão do RenovaBR movimenta 445 cidades

  Dom, 06-Out-2019
Bucciarelli, ao centro no Zancone: nova política Bucciarelli, ao centro no Zancone: nova política

Na manhã deste sábado, 5 de outubro, o engenheiro elétrico Luís Bucciarelli liderou na Vila Leopoldina, em São Paulo, um mutirão dentro do Zancone - um centro de acolhimento onde dormem diariamente 100 desabrigados, com apoio da prefeitura de São Paulo. Ali, cerca de 300 pessoas desde cedo trabalharam na implantação de uma horta comunitária, que servirá para a preparação da comida servida no refeitório do primeiro andar. Bucciarelli também colaborou para a confecção de dois bancos de jardim, levantou 1.800 reais em doações e material para a oficina de serigrafia, cuja produção serve como fonte de renda para os internos.

A iniciativa de Bucciarelli faz parte do programa de treinamento do RenovaBR, que no sábado movimentou seus 1.500 alunos numa ação social simultânea em 445 cidades brasileiras. A ONG que se propõe a formar políticos melhores instituiu essa etapa no processo seletivo de seus candidatos, que no final podem concorrer por qualquer partido. A condição da ONG para as ações é que elas tivessem efeito duradouro, envolvimento com uma comunidade local e divulgação pelas redes sociais e a imprensa.

Filiado ao Partido Novo, Bucciarelli planeja ser candidato a vereador em São Paulo nas próximas eleições. Colocou em ação toda a família - a esposa, Mônica, que serviu o lanche e organizou a pequena biblioteca do centro, os filhos e o irmão - além de amigos e colaboradores de sua primeira campanha, para deputado federal, no ano passado. Não se elegeu, mas conquistou 13 mil votos e ficou convencido de estar no caminho certo. Por isso, inscreveu-se no programa de capacitação do RenovaBR e passou em todas as fases da triagem até aqui.

O Renova BR quer fazer de pessoas comuns lideranças políticas qualificadas, de maneira a mudar o cenário do país. As ações propostas pelos seus participantes se deram em áreas como educação, saúde, assistência social, cultura, meio ambiente, esporte e inclusão social. No caso de Bucciarelli, os desabrigados de rua, um dos problemas que mais se agravam nas grandes metrópoles. "Eu não vim dizer a eles o que fazer", disse Bucciarelli. "Perguntei o que precisavam. E estamos colaborando."

Também em São Paulo, a gestora pública Fabiola Baani realizou uma ação no bairro de Higienópolis, que promoveu um mutirão para arrumar o canteiro de compostagem, o pomar, a casa de brinquedos e o parque onde se encontra a creche Monteiro Lobato, da prefeitura municipal. O projeto continua. "O parque terá uma uma adaptação para pessoas com deficiência e nas próximas etapas serão instalados sistemas de captação de água para reuso e painéis solares para geração de energia limpa", diz Fabíola. "O melhor de tudo é que as crianças e suas famílias estão participando diretamente da iniciativa."

Ações locais

Com vistas à próxima eleição municipal, o RenovaBR procura desenvolver ações locais, que formem políticos voltados para os bairros onde residem ou trabalham. A base da atuação é a organização do voluntariado, envolvendo a comunidade. "Estaremos não só preparando a escola Monteiro Lobato para o futuro, como criando uma consciência mais sustentável na comunidade toda”, diz Fabíola. Para realizar as obras, ela criou um projeto de financiamento coletivo pelo site Vakinha.com, captou doações diretas e promoveu "almoços solidários" na escola. 

O curso do RenovaBR tem aulas, exercícios online e presenciais. Os melhores classificados continuarão o treinamento em 2020. Na prática, o processo acaba numa seleção natural de candidaturas, por meio da qual o RenovaBR já ajudou a eleger dezesseis políticos de diferentes partidos nas últimas eleições, dez deles no Congresso Nacional. Como o senador Alessandro Vieira (REDE-SE), os deputados federais por São Paulo Tábata Amaral (PDT) e Vinicius Poit (NOVO) e, no Rio, Marcelo Calero (PPS), Paulo Ganime (NOVO) e Luiz Lima (PSL).

Fundado pelo executivo da área financeira Eduardo Mufarej, o RenovaBR hoje possui alcance nacional e é apenas uma de várias iniciativas para a renovação e profissionalização da política brasileira.

Sobretudo no caso das eleições municipais, é importante o envolvimento e a a criação de lideranças ligadas às comunidades. A sociedade civil tem começado a se organizar mais, com ajuda das redes sociais. Resta saber se, uma vez no poder público, os novos políticos como Bucciarelli e Fabíola conseguirão contribuir efetivamente para a grande mudança pedida pelo Brasil - o restabelecimento do poder público para que ele faça a sua parte. É o compromisso, e a esperança.