2 Jul 2020

Lotação hospitalar se aproxima do limite

  Qua, 08-Abr-2020

Com uma centena de novos casos ao dia de Covid-19, o estado do Amazonas já tem 95% dos seus leitos de UTI com respiradores ocupados na rede pública. O mesmo acontece em  Pernambuco. O secretário estadual de Saúde, André Longo, afirmou que 80% dos 118 novos leitos de UTI montados no estado para receber pacientes do coronavírus estão ocupados. Nos novos 210 leitos de enfermaria, para casos menos graves, o índice é de 43%. O Amazonas é uma das cinco unidades da federação com indicação de descontrole da contaminação, junto com Ceará, São Paulo, Rio de Janeiro e o Distrito Federal.

Nesta terça-feira, o Amazonas contabilizou 104 novos casos confirmados, chegando a 636 infectados pelo Covid19, com 23 mortes. 

Nas UTIs públicas de Manaus, a única cidade com esse recurso no estado, há 18 pacientes confirmados de Covid-19, além de 41 suspeitos e com quadro de síndrome respiratória aguda grave, que rpecisam de respirador.

“Alguns desses suspeitos em UTI podem estar com algum desses vírus [Influenza e outros], o que não torna a situação menos grave ”, afirmou a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Rosemary Costa Pinto. "Temos leitos de UTI sendo utilizados por esses pacientes, o que pode dificultar a internação em UTIs por pacientes com Covid-19."

Em Pernambuco possui o maior número de mortes por covid-19 no Nordeste e a maior taxa de letalidade da doença entre os estados com mais de 100 casos.

Foram confirmados 129 casos e quatro mortes até a terça-feira. No total, forma identificados 352 pessoas infectadas e ocorreram 34 óbitos. O governo pretende criar mil novos leitos para atendimento nas próximas semanas.

O maior desafio da atual fase do combate, além do isolamento domiciliar, é poder atender às internações. Pernambuco deve criar mais leitos no interior, para dar "uma melhor condição de resposta regional a covid-19", segundo Longo.

O Ministério da Saúde assinou acordo com um fabricante nacional de respiradores hospitalares. A Magnamed, responsável pelo projeto, utilizará as instalações da montadora Flextronics, que normalmente atende o mercado de telecomunicações e tecnologia, para entregar 6.500 aparelhos até agosto. Prevê-se que 2.000 unidades serão entregues no primeiro mês.

Em Santa Catarina, a produtora de geradores Weg já tem linhas de montagem prontas para produzir um modelo alemão de respirador para o governo federal. Hoje, os respiradores são montados com peças importadas de países como a Alemanha, a Suíça e a China.

Modelos brasileiros estão sendo testados, um deles na Universidade de São Paulo, que estima tê-los aprovados em três semanas.