19 Set 2019

"Eu não sei onde vai parar o país", diz Lula

  Qui, 29-Ago-2019
Lula: "já era hora de terem consertado o país" Lula: "já era hora de terem consertado o país"

O ex-presidente Lula deu uma entrevista da cadeia à BBC Brasil, no momento em que o Supremo Tribunal federal anulou a condenação do ex-presidente da Petrobras Sérgio Bendine por Sérgio Moro e abriu um precedente para que ele também saia livre. Lula defendeu que o STF não pode soltar todos os condenados pela Lava Jato - tem em mira em especial os delatores do PT. "Se confessou, é ladrão", disse ele.

E disse que agora Bolsonaro tem de mostrar a que veio. "Estamos há um ano só ouvindo falar em corte e ajuste, corte e ajuste, corte e ajuste, e não se ouve falar em desenvolvimento, em emprego, em política industrial", afirmou. "Isso não existe. Então, eu não sei onde vai parar o país.

Lula defendeu a soberania brasileira com relação à Amazônia. s mesmas posições que Bolsonaro com relação à Amazônia, que para ele foi colocada em risco "com o discurso do [presidente Jair] Bolsonaro". 

Segundo ele, o aumento da devastação da floresta e proposital, dentro de um governo contrário às reservas, aos quilombolas e à preservação da mata. Porém, também defendeu o desenvolvimento da região, fator indispensável para o crescimento sustentado e a própria preservação.

"Cuidar da Amazônia não significa transformá-la num santuário da humanidade", disse. "Significa criar condições para que os 20 milhões de homens e mulheres que moram lá tenham condições de trabalhar, de sobreviver, de ganhar sua vida, preservando o máximo possível o meio ambiente, levando para lá política de desenvolvimento que possa permitir cuidar da nossa floresta. Até porque a grande riqueza que temos lá ainda quase que inexplorada é a nossa biodiversidade."

Brecha
Lula tem diante de si uma brecha criada pelo STF para a revisão de sua condenação, após o caso de Bendine. O tribunal se apegou a uma tecnicalidade, descoberta somente agora pelos advogados, que nos últimos tempos ganharam súbita boa vontade de parte dos ministros do tribunal, desde que passaram a ser também investigados com ajuda da Receita Federal.

"Eu acho que a Suprema Corte precisa dar um freio de arrumação na casa, porque houve um momento em que o Moro, o [procurador Deltan] Dallagnol e mais a equipe da força-tarefa pensavam que eram donos do Brasil", disse. "A operação Lava Jato tem coisas que foram verdade, tem pessoa que confessou. Se o cara confessou que roubou, o cara é ladrão. E é só pegar os delatores, porque ficou fácil roubar no Brasil."

Lula mostrou-se carente de conversar - tem uma janela de apenas duas horas por dia para contato com outras pessoas. E mostrou-se com pressa de sair para fazer o que acha que tem de ser feito - rearrumar o Brasil a seu modo. "Nós já temos quatro anos que cassaram a Dilma, já era para ter consertado esse país", disse.

A íntegra da entrevista está aqui.