24 Ago 2019

Fake news inocentes e perigosos

Por   Qua, 16-Mai-2018

Há muito o que fazer até alcançar o status de empresa.4 . Na indústria, por exemplo, não é inteligente ignorar o protagonismo da comunicação neste processo. 

A cultura das empresas industriais é fortemente marcada pela objetividade cartesiana da engenharia e pela matemática financeira de administradores. Com algum alívio nas áreas de recursos humanos e marketing, insuficiente contudo para mudar a ideia de que escrever e falar bem são um dote que se recebe no berço. Preconceitos que engenheiros e administradores – e não apenas eles - trazem de longe e são reforçados pelas exigências da profissão e cacoetes criados pelo uso das ferramentas intelectuais de suas profissões.

Com modelos machadianos e de outros exemplos inimitáveis, a maioria humilhada se resigna a textos profissionais de qualidade medíocre porque afinal “ não nasceram com o dom”.

A biografia de grandes autores, contudo, mostra que, dotados ou não de alguma genética privilegiada, eles trabalhavam duro, experimentavam muito, cinzelavam textos e ideias até que conseguissem produzir ...arte. Pois é isto o que é a Literatura.
De todos os demais o que se espera, e o que se exige em boas empresas, é produzir e transferir informação, de forma clara, coerente, objetiva. E isto independe de herança genética. Pode ser aprendida, como uma técnica.

Comunicação faz hoje o que sempre fez, das garatujas rupestres ao computador - que a propósito, nasceu para calcular e cresceu como máquina de Comunicação.

Hoje, como sempre, o processo da Comunicação cumpre três tarefas: acelerar a transferência das mensagens, otimizar a audiência e garantir a fidelidade da informação. Menos tempo, maiores audiências, maior fidelidade, portanto, são os vetores que devem orientar o aprendizado e as políticas de Comunicação no mundo empresarial. As tarefas são frustradas se a mensagem é incompetente.

Tempo e audiência dependem da tecnologia. Já os resultados e consequências da mensagem enviada, dependem de sua qualidade, definida pelo interesse que desencadeia, facilidade de compreensão e de sua estrutura lógica.

Este é o centro do processo da comunicação corporativa - não há sentido em usar a velocidade e as audiências oferecidas pela tecnologia se as ideias e os fatos se corrompem, se extraviam ou são inúteis, dúbios e no limite, obviamente errados. A Informação que entregam é uma fake news , gerada sem intenção maliciosa, mas tão prejudicial como qualquer mentira , nome que sempre mereceram antes da E.T. – a Era Trump .

Como se pode facilmente deduzir, comunicação no âmbito das empresas está muito longe da arte que distingue Machado ou Shakespeare. Com certeza a produção, distribuição, compreensão e guarda de informação não é coisa para amadores. Pode ser aprendida, com uma técnica que começa pedindo para obedecer a ordem direta, frases curtas e sujeitos explícitos.