21 Jul 2019
Sexta, 14 Junho 2019 18:19

Manifestação em Porto alegre: ruas e rodovias blouqeadas

O dia de paralisação contra a reforma da Previdência convocada pelas centrais sindicais afetou em parte o transporte de ônibus e metrô em diversas capitais do país na manhã de sexta-feira.

Em São Paulo, parte do metrô ficou paralisado. Em Guarulhos, manifestantes bloquearam pela manhã a rodovia que dá acesso ao aeroporto internacional.

Em Belo Horizonte, nenhuma linha do metrô funcionou. Em Salvador e Brasília, os ônibus não circularam.

Protestos foram realziados em frente à garagem de ônibus em Curitiba, Natal, João Pessoa e Aracaju, assim como em rodovias nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Maranhão e Paraíba.

 

No Rio de Janeiro, manifestantes tomaram a avenida Brasil. No acesso à ponte Rio-Niterói, a polícia usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Em Niterói, durante um protesto, cinco pessoas foram atropeladas durante um protesto.

Em Belo Horizonte, a passageira de um ônibus inalou fumaça da queima de pneus e foi internada em estado grave.

Outros incidentes foram computados pelo país. Em Campina Grande, um estudante foi agredido por um PM. Em Alvorada, cidade próxima a Porto Alegre, um policial ficou ferido no olho.

Também houve registro de protestos em Maceió (AL), Belo Horizonte, Belém (PA), Teresina (PI), Juiz de Fora (MG), Joinville (SC), Macaé (RJ), Vila Velha (ES) e São Carlos (SP).

Funcionários da Petrobras começaram uma greve em refinarias e terminais em oito Estados.

Os protestos prosseguiram à tarde em todas as capitais do país. Em São Paulo, os manifestantes marcaram a partida do protesto para as 16H em frente ao Masp, na avenida Paulista.