16 Nov 2019

Bolsonaro tenta relaxar punição aos motoristas

  Ter, 04-Jun-2019

O presidente Jair Bolsonaro foi pessoalmente nesta terça-feira à Câmara dos Deputados entregar um projeto de lei que relaxa punições aos motoristas no Código Brasileiro de Trânsito.

Pelo projeto, que tem de ser aprovado na Câmara e no Senado, sobre de 20 para 40 pontos o limite para suspensão da Carteira Nacional de Habilitação.

O projeto ainda prevê a ampliação da validade da habilitação de cinco para dez anos. Idosos, que hoje têm de refazer a carta a cada dois anos, passam a ter cinco anos.

"Mexe com todo mundo", disse o presidente, ao entregar o documento ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia "E tem a ver com a nossa economia, com o bem-estar dos [motoristas] profissionais e dos particulares".

A ida de Bolsonaro ao Congresso, que procura explorar uma medida popular, encontrou seus críticos. O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PL-AM), estranhou que Bolsonaro tenha ido ao Congresso em pessoa para isso, e não para tratar da reforma da Previdência, que o governo mesmo define como algo prioritário e essencial ao país.

“Depois reclamam quando digo que o presidente Bolsonaro não tem noção de prioridade e do que é importante pro país", escreveu Ramos no Twitter. "Enquanto estamos num seminário sobre reforma da Previdência, ele está vindo pra Câmara apresentar PL que trata de aumentar pontos na carteira de maus motoristas.”

A passagem pela comissão presidida por Ramos é a segunda etapa na aprovação da reforma da Previdência, depois da Comissão de Justiça. Ele já declarou abertamente sua "antipatia", mas afirma que ela é menor que sua responsabilidade com a reforma.

O porjeto do governoé completdo poroutras medidas simplificadoras. Muda as regras para o transporte de crianças nos veículos, permite que o Conselho Nacional de Trânsito libere bicicletas elétricas sem maiores exigências e acaba com o exame toxicológico para motoristas profissionais.

"Estamos desburocratizando, seguindo determinação do presidente Bolsonaro", disse o A ideia, então, é tornar a vida do cidadão mais fácil", disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, encarregado do projeto.

Defendeu a extensão do prazo de validade da carteira. "A expectativa de vida melhorou, a saúde melhorou, e nós continuamos impondo um exame para fazer a carteira a cada cinco anos?", questionou.

Essa foi a segunda semana consecutiva em que o presidente vai à Câmara - nenhuma delas por conta da Previdência. Na semana passada, Bolsonaro decidiu de improviso ir a pé do Palácio do Planalto ao Congresso para participar de uma sessão em homenagem ao humorista Carlos Alberto de Nóbrega.