28 Nov 2021

O governador João Dória em SP: segue o isolamento, porém mais flexível

  Qua, 27-Mai-2020

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira que o isolamento continuará no estado até o próximo dia 15 de junho, uma quinzena a além do período já marcado, este final de maio.

Contudo, a partir desta segunda-feira, 1 de junho, haverá uma flexibilização do isolamento social, com o que ele chamou de "retoamda consciente" das atividades econômicas, de forma gradual.

"É uma nova fase, uma nova prática, que vai permitir em algumas áreas a retomada gradual e segura de atividades", disse, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. "Quero alertar, no entanto, que a retomada parte da colaboração de todos e parte do princípio que estaremos monitorando dia a dia a evolução do processo. Se tivermos que darmos um passo atrás e retomar medidas, faremos para proteger vidas."

Não é o momento ideal para flexibilização, já que o número de casos continua crescendo no Brasil e São Paulo, onde está a maior população, está à frente na lista de mortes e contaminações. Dória, porém, acaba sendo pressionado pelo presidente Jair Bolsonaro, que joga todas as responsabilidades pela pandemia sobre os governadores - tanto pela queda na economia quanto pelo isolamento.

Com uma flexibilização, os governadores desarmam o discurso do presidente - e, ao mesmo tempo mantém certo controle do processo.

A flexibilização sege a escala do Plano São Paulo, protocolo de reabertura gradual do comércio. Foram priorizados setores com menor potencial de contágio, os que empregam mais e os que estão sob risco de falência.

"O vírus afetou fortemente a economia do Brasil e obviamente afetou fortemente a economia do estado que lidera a economia, que é São Paulo", disse Dória. "Mesmo assim, São Paulo decidiu, com base na ciência, manter 74% das atividades em funcionamento do estado. E aqui cabe também aqueles que do setor privado souberam seguir as normas para proteger seus colaboradores. E temos certeza que isso continuara pela consciência coletiva."

Na primeira fase, serão fexibilizadas somente a Grande São Paulo, a baixada santista e Registro. Na segunda fase, a flexibilização incluirá a capital e outras grandes cidades, como Campinasm Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. Na terceira fase, entrarão Araraquara e São Carlos, barretos, Bauru e Presidente Prudente.

Dória cede também á pressão dos prefeitos, em reunião na tarde de terça-feira.