2 Jul 2020

Candidato democrata nos EUA é acusado de abuso sexual

  Seg, 13-Abr-2020

Recém anunciado candidato democrata à presidência dos EUA nas próximas eleições, o ex-vice-presidente Joe Biden está sendo acusado de abuso sexual por Tara Reade, ex-funcionária do Capitólio, que diz ter sido atacada por ele em 1993. Segundo ela, Biden a "jogou contra a parede, colocou a mão por baixo da sua saia e a penetrou com os dedos".

A história foi publicada nesta segunda-feira pelo The Washington Post. No ano passado, Reade já tinha afirmado que teve com Biden "interações desconfortáveis", nas quais ele lhe fazia massagens ou dava abraços sem permissão.

Na época, Reade tinha 29 anos. "Eu não tive coragem de falar sobre isso antes", afirmou. "As palavras simplesmente não saíram. Conforme o tempo passou, eu fui me sentindo mais forte e pude falar a verdade. Eu percebi que precisava fazer isso." Reade junta forças exatamente agora que Biden se lança à presidência.

Agora, ela fez uma acusação formal contra Biden na polícia de Washington. Afirma ter sido ameaçada e quer respaldo das autoridades. Seu irmão, Collin Moulton, e uma amiga que trabalhava no Capitólio confirmaram que ela comentou o caso na época em que ocorreu.

Biden nega. "O vice-presidente dedicou toda a sua carreira à missão de mudar a cultura e as leis acerca da violência contra as mulheres", disse Kate Bedingfield, porta-voz da campanha. "Ele acredita firmemente que as mulheres têm o direito de serem ouvidas — e respeitosamente. Acusações como esta devem ser investigadas por uma imprensa independente. O que está claro é que esta acusação é falsa. Isso não aconteceu", completou.

De qualquer forma, é um mau começo para Biden, que já tem desarmado o discurso moralista contra o atual presidente, Donald Trump. As eleições gerais acontecem em novembro.