23 Jul 2019

O massacre ao vivo em mesquita na Nova Zelândia

  Sex, 15-Mar-2019

Na sexta-feira, diz 16, um ataque em duas mesquitas na Nova Zelândia deixou 49 mortos e 48 feridos. Quatro suspeitos foram detidos. Um deles, o australiano Brenton Tarrant, de 28 anos, entrou atirando e filmou as próprias ações, transmitidas ao vivo e em tempo real.

A primeira-ministra Jacinda Ardern classificou o ataque como terrorista. Segundo ela, sete pessoas foram mortas na mesquita Linwood Masjid e outras 41 na mesquita de Al Noor, perto de Hagley Park. 

“É óbvio que os ataques foram planejados durante bastante tempo”, disse Arden. Foram encontrados engenhos explosivos dentro dos automóveis dos atiradores.

Segundo ela, mitas das vítimas eram migrantes ou refugiados “que escolheram fazer da Nova Zelândia a sua casa”.

Brenton Tarrant trabalhou como personal trainer que atendia crianças de forma gratuita, segundo pessoas próximas a ele, ouvidas pelo site australiano ABC. Deixou um manifesto anti-imigrantes de 74 páginas. Nele, descreveu-se como "etnonacionalista e fascista".

"As origens da minha língua são europeias, minha cultura, minhas crenças filosóficas, minha identidade é europeia e, mais importante, meu sangue é europeu", escreveu, apontando vir de uma linhagem de escoceses, irlandeses e ingleses.

Afirma ainda que planejou o ataque por dois anos e sua intenção é intimidar a imigração para "terras europeias" e "mostrar aos invasores que nossas terras nunca serão as terras deles, enquanto um homem branco viver, e que eles nunca irão substituir nosso povo".

"Extremista"

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison afirmou que as autoridades de colaboram na investigação e que os australianos ficaram chocados e indignados com o ataque, descrevendo o atirador como "um extremista de direita e um terrorista violento".

O primeiro ataque foi na mesquita Al Noor. Com uma arma pesada, o atirador atacou primeiro o salão de orações dos homens e depois se dirigiu ao das mullheres.

Testemunhas correram para escapar e cruzaram com pessoas sangrando no chão do lado de fora.

Imagens do atirador o mostram dirigindo-se para a mesquita Al Noor, entrando e atirando aleatoriamente contra pessoas. O australiano passou mais de dois minutos dentro da mesquita. Em seguida, foi para a rua, onde atirou contra pedestres.

Ele retornou à mesquita, onde as imagens mostram muitos corpos deitados no chão, mortos ou feridos. Depois de mais tiros, ele saiu da mesquita, atirou em uma mulher e retornou para seu carro. Em seguida, a transmissão foi cortada.

A polícia neozelandesa desativou explosivos num carro no centro da cidade de Christchurch, após o tiroteio. Entre os quatro suspeitos detidos, está uma mulher.

Christchurch é a maior cidade da Ilha Sul da Nova Zelândia e a terceira maior do país, com 376 mil habitantes. Localizada na costa leste da ilha e a norte da península de Banks, é a capital da região de Canterbury.