18 Out 2021

Ultradireita cresce na Argentina

  Qua, 13-Out-2021

Um economista cabeludo, Jamier Milei, é a nova força política emergente da argentina, depois da crise que não foi debelada pelo governo populista de esquerda do kirchnerismo, de volta ao poder depois do insucesso também do liberalismo pampeiro de Maurício Macri.

Professor de economia que gosta de se comparar com Jair Bolsonaro e Donald Trump, Javier Milei tem 50 anos e é o líder do Liberdade Avança, partido de direita radical que ganha espaço político na Argentina com o discurso de acabar com as velhas fórmulas mal sucedidas - e a democracia junto.

O Liberdade Avança fez sua lista para os próximos pleitos parlamentares, em 14 de novembro, e conseguiu nas pré-eleições de setembro - uma espécie de prévia instituída pelo sistema eleitoral da Argentina - o alcançou 13% dos votos.

Esse resultado lhe deu condições de estar todas as cédulas no pleito de novembro e colocou Milei como a líder da terceira força política do país. Na sua agenda, está a disputa pela Casa Rosada em 2023.

O eleitorado de Milei é formado sobretudo por jovens, atraído pelo seu jeito de surfista radical, no cabelo e nas palavras. Antigo cantor de uma banda de rock, aparece de jaqueta de couro nos comícios, recheados de cartazes com dizeres como "Os esquerdistas estão com medo". Os cabelos bagunçados lhe valeram o apelido de "Peluca" (peruca).

"Nossa linha comum é a luta contra o comunismo, contra o socialismo", diz ele, de sua semelhança com trump e Bolsonaro.Ganhou notoriedade como comentarista econômico em revistas e talkshows.

Midiático, Milei, fala palavrões e se inclina para a sátira. "O direitista não te deixa ir para a cama com quem quiseres, o esquerdista não te deixa fazer negócios com quem queiras", diz "O libertário não liga nem com quem fazes negócios, nem com quem vais para a cama."

É também agressivo. "Classe política de merda, bandida, parasitária, jamais irei contra a propriedade privada, contra a liberdade, aumentar um imposto", afirmou, em um comício.

O maior cabo eleitoral de Milei, porém, é o fracasso dos governos, incluindo o atual, de popularidade cadente. A pandemia e a incapacidade de produzir um plano realista para debelar a crise econômica acabaram se tornando aliados de qualquer discurso agudo que critique p que existe - sem que se saiba, porém, o que isso pode produzir de melhor.