19 Fev 2020

Líder etíope é Nobel da Paz de 2019

  Sex, 11-Out-2019
Ahmed: fim das hostilidades Ahmed: fim das hostilidades

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, de 43 anos, foi escolhido pela academia sueca como Nobel da Paz de 2019, conforme anunciado nesta quinta-feira, por sua participação no fim do conflito entre Etiópia e a vizinha Eritreia.

Em guerra de fronteira de 1998 a 2000, a Etiópia e a Eritreia restabeleceram relações diplomáticas em julho de do ano passado, colocando fim a duas décadas de hostilidades.

"Quando Abiy Ahmed se tornou o primeiro-ministro em abril de 2018, ele deixou claro que desejava retomar o ritmo das negociações com a Eritreia", afirmou o comitê no Nobel, em comunicado. "Em estreita cooperação com o presidente da Eritreia, Abiy Ahmed rapidamente elaborou os princípios para um acordo de paz que acabasse com o impasse entre os dois países."

Ahmed disse que o prêmio vai para "a África". "Imagino que outros líderes na África pensem que é possível trabalhar nos processos de construção da paz em nosso continente", afirmou ao Nobel, em declaração postada no site da entidade.

A presidente do Comitê Nobel Norueguês, Berit Reiss-Andersen, expressou ainda seu "reconhecimento a todos os atores que trabalham pela paz e a reconciliação na Etiópia e nas regiões do leste e nordeste africanos".

Mencionou o trabalho do ditador da Eritreia, Issaias Afworki. "A paz não é alcançada apenas com as ações de uma única pessoa", disse Andersen. "Quando o primeiro-ministro Abiy Ahmed estendeu a mão, o presidente Afwerki aceitou e ajudou a dar forma ao processo de paz entre os dois países."

A maioria dos prêmios, que incluem a Medicina, Física, Química, Literatura e Economia, serão entregues no dia 10 de dezembro, aniversário da morte de seu fundador, Alfred Nobel, na Sala de Concertos de Estocolmo. Já Nobel da Paz será entregue na Câmara Municipal de Oslo, o único fora da Suécia, por desejo de Nobel, já que a Noruega fazia parte do Reino da Suécia em seu tempo.