24 Ago 2019

Lava Jato peruana derruba seu presidente

  Qui, 22-Mar-2018
Kuczynski: "ingovernável" Kuczynski: "ingovernável"

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, renunciou na quarta-feira ao cargo, 19 meses depois de sua posse. O peruano queixou-se, em seu depoimento de renúncia, que o país se tornava "ingovernável". 

Queda do presidente peruano é resultado do principal efeito do bolivarianismo, patrocinado em grande parte com desvios de dinheiro das estatais brasileiras nos governos do PT, tanto no Peru como na Bolívia e na Venezuela: a propagação da corrupção por toda a América Latina, da memsa forma como ocorreu no Brasil.

Também no Peru, há uma operação Lava jato em andamento. Abalado pelo escândalo da Odebrecht, Kuczynski entregou carta de renúncia ao Congresso, depois do vazamento de vídeos e áudios que tornaram ainda mais complicada a sua já frágil situação política.

Nos vídeos, divulgados pelo partido de oposição Força Popular, aliados de Kuzcynski supostamente tentam comprar votos contra a cassação do presidente.

Ele enfrentaria nesta quinta-feira a segunda votação no Congresso para seu afastamento, sob acusação de mentir sobre sua relação com a Odebrecht.

Num dos vídeos, membros do grupo do deputado Kenji Fujimori - que era do Força Popular e passou a apoiar Kuczynski - tentam comprar o apoio de deputados opositores, como Moisés Mamani, em troca do controle de obras de infraestrutura, via ministérios de Economia e Transportes.

É mais uma prova de que na América Latina realmente não existem mais fronteiras.