15 Nov 2019

"Guerra elétrica" aumenta pane da Venezuela

  Seg, 11-Mar-2019
Caracas sem luz: obscurantismo literal Caracas sem luz: obscurantismo literal

O governo obscurantista da Venezuela atingiu seu apogeu com um apagão geral que deixou o país literalmente na escuridão.

Desde a sexta-feira, dia 8, a falta de luz de forma intermitente atingiu bairros inteiros da capital, Caracas. Não ficou explicada a caus ado problema. O presidente Nicolás Maduro acusou a oposição de "sabotagem" no sistema elétrico venezuelano, especialmente na usina de El Guri, responsável pelo apagão.

"A guerra eléctrica anunciada e dirigida pelo imperialismo estadounidense contra nosso povo será derrotada", afirmou Maduro, ao estilo de Fidel Castro. "Nada nem ninguém poderá vencer ao povo de Bolívar e Chávez."

Pelas redes sociais, venezuelanos relataram que o comércio fechou, os semáforos não funcionam e o sistema de transporte se transformou num caos. O Aeroporto Internacional de Maiquetía, o principal da Venezuela, permaneceu fechado.

Segundo o jornal "El Nacional", hospitais sofrem com o blecaute. Tratamentos estão suspensos, há hospitais fechados e medicamentos sem refrigeração.

Henrique Capriles, um dos principais políticos da oposição a Maduro, negou que a energia tenha voltado. "Não há ninguém no regime usurpador que explique ao país a situação!", disse, pelo Twitter. "Seu canal de propaganda só transmite informação velha."

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, conseguiu desembarcar no país após sua viagem à Colômbia e ao Brasil. Negou a sabotagem do sistema elétrico. "É simplesmente corrupção, falta de manutenção e de técnicos especializados", disse, depois de uma cerimônia do Dia Internacional da Mulher em Caracas."A única sabotagem é a do usurpador a todo o povo da Venezuela".

De acordo com Guaidó, mais de US$ 100 milhões foram roubados do sistema elétrico venezuelano desde 2013, quando foi militarizado pelo regime chavista.

O apagão venezuelano atingiu por tabela o estado de Roraima. O estado é o único da federação que não faz parte do Sistema Interligado Nacional e depende do Linhão de Guri. Por enquanto a energia que vem sendo utilizada é a produzida 100% por termoelétricas, segundo a Roraima Energia, responsável pela distribuição no estado