26 Jan 2020

Neste domingo, a Argentina promoveu, com a eleição de Alberto Fernández, a volta do governo de esquerda, com Cristina Kirchner no posto de vice-presidente. A vitória, com 48% dos votos, contra 40% do atual presidente Mauricio Macri, marca uma certa volta ao passado, com a restauração do kirchnerismo, após o insucesso das políticas liberais atuais. Com isso, a Argentina se soma ao Chile, cuja população, revoltada com os resultados do que era considerado um modelo liberal de governo. E deixa clara a agonia da América Latina, que já tentou todas as soluções existentes e, diante do seu insucesso, parece girar num círculo vicioso que vai jogando os países para trás na História.

Uma operação de forças lideradas pelos Estados Unidos atacou uma posição de terroristas no noroeste da Síria, na fronteira com a Turquia. De acordo com o presidente americano, Donald Trump, foi morto o líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, um dos terroristas mais procurados do mundo.

Baghdaditeria se matado durante a operação ao detonar um colete suicida, depois de fugir por um túnel sem saída, segundo Trump, em pronunciamento na Casa Branca. A identidade do terrorista, que segundo Trump teria morrido "gemendo e chorando", foi confirmada por exame de DNA 15 minutos após a morte. .

Em visita à China, assim como fez nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que por ordem sua o Brasil deverá liberar os chineses de entrar no país mediante visto. É um convite para o 1,3 bilhão de chineses, aque para vir aopaís antes tinham que passar pela peneira em um dos três consulados brasileiros no país.

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, de 43 anos, foi escolhido pela academia sueca como Nobel da Paz de 2019, conforme anunciado nesta quinta-feira, por sua participação no fim do conflito entre Etiópia e a vizinha Eritreia.

Depois de muito rasgar seda para os Estados Unidos e o presidente americano, Doland Trump, Jair Bolsonaro acabou frustrado. Descobriu que é o interesse econômico, e não a bajulação, que decide as coisas no comércio bilateral.

Em uma carta à Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, negou apoio à candidatura brasileira para ingressar na entidade, como desejava o presidente brasileiro. Em vez disso, avalizou as candidaturas de Romênia e Argentina. 

A sede da Polícia em Paris virou cena de crime, nesta quinta-feira, dia 3. Um agente administrativo de 45 anos, atacou policiais com uma faca. Matou quatro pessoas e deixou outras feridas até ser abatido a tiros por outro agente.

O presidente americano, Donald trump, sempre manteve a postura de quem dá pouca importância ás ameaças ao seu governo - especialmente as tentativas dos democratas de iniciar contra ele um processo de impeachment por suposto apoio russo á sua campanha eleitoral. Agora, porém, a ameaça se materializou, com o epdido de abertura de processo de impedimento, anunciaod nesta terça-feira pela presidente da Câmara, Nancy Pelosi.

Depois do ataque com misseis a campos de petróleo na Arábia Saudita, a comunidade econômica internacional se deu conta de que o terror está longe de ser coisa do passado. E acendeu-se o suspense sobre o que acontecerá.

Após a declaração de moratória da dívida externa, a Argentina se debate, a pouco menos de dois meses da próxima eleição presidencial.

Nesta quinta-feira, o presidente Maurício Macri fez um pronunciamento antes da abertura dos mercados para tentar diminuir o clima de instabilidade.

"É minha responsabilidade que esse período transcorra da melhor maneira possível", disse.

Depois de alguns países como Alemanha e Noruega anunciarem a suspensão de recursos para o Fundo Amazônia em retaliação a declarações do presidente Jair Bolsonaro, os líderes das sete grandes potencias, reunidos em Biarritz, na França, decidiram liberar 20 milhões de dólares para ajudar a combater os incêndios na floresta. Comuns nesta época do ano, eles se tornaram uma questão internacional - e mais uma zona de atrito criada por Bolsonaro, que afirmou desconfiar dos interesses por trás de tal ajuda, dentro de seu discurso de jogar o Brasil contra o mundo, usando a soberanianacional sobre a Amazônia brasileira como mais um perigo para justificar um regime autoritário.

Página 1 de 6