3 Jun 2020

Em Coral Gables, na Flórida, policiais se ajoelharam durante ato em manifestação dentro da onda de protestos contra a violência da repressão policial, depois da morte do negro George Floyd, de 40 anos, asfixiado por um policial branco quando já se encontrava sob custódia.

O Bayern de Munique venceu nesta segunda-feira o Borussia Dortmund por 1 a 0, pela 28ª rodada do campeonato alemão, no Signal Iduna Park. Sem torcida nas arquibancadas, o gol de Joshua Kimmich quebrou um pouco do silêncio.

O campeonato alemão, a Bundesliga, segue como dá. O Bayern abriu vantagem de 7 pontos na liderança, com 64 pontos, à frente do próprio Borussia, seu adversário mais direto.

O nível de atividade da economia americana caiu 4,8% no primeiro trimestre do ano, resultado que apenas começa a refletir a maior crise já registrada no país desde o estouro da bolha financeira em 2008.

Depois do drama da explosão do coronavírus, e do ferrolho sanitário que forçou o país inteiro a ficar dentro de casa, a Itália já tem uma agenda para a volta ao trabalho. No dia 27 de abril, poderão ser reabertos negócios que respeitarem normas de segurança firmado entre o governo e os sindicatos em 14 de março. Há hoje 4 milhões de italianos já trabalhando, com o uso de máscaras. Outros 2,8 milhões de italianos devem voltar ao trabalho a partir de 4 de maio, quando serão divulgadas novas normas para o funcionamento de um novo regime de trabalho. "Quem já tiver tudo pronto, poderá voltar já em 27 de abril", diz o documento preparado pelo comissário encarregado do combate ao Covid-10 no país, Domenico Arcuri.

O presidente americano, Donald Trump, suspendeu nesta terça-feira a imigração para os estados Unidos, em caráter temporário. A iniciativa, segundo ele, é para "proteger trabalhadores americanos uma vez que a eocnomia comece a se recuperar da páralisação econômica".

Um dos últimos países invadidos pelo Covid-19, a Turquia agora tem cerca de 5.000 casos por dia. O número de mortes dobrou em 8 dias, chegando a 1.296 óbitos até esta terça-feira.

É o equivalente a uma taxa de cerca de 15 mortes por milhão de habitantes No Brasil, são 6.

A aceleração se deu com a decisão do governo de adotar o isolamento "vertical" - isto é, restrito a grupos de risco, como pretende fazer no Brasil o presidente Jair Bolsonaro.

O presidente turco, Recep Erdogan, afirmou que a "roda da economia tem de continuar girando".

O número de pessoas testadas positivamente com Covid passou os 2 milhões, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, dos estados Unidos, que é hoje o país onde a epidemia cresce mais - e mais rápido.

Recém anunciado candidato democrata à presidência dos EUA nas próximas eleições, o ex-vice-presidente Joe Biden está sendo acusado de abuso sexual por Tara Reade, ex-funcionária do Capitólio, que diz ter sido atacada por ele em 1993. Segundo ela, Biden a "jogou contra a parede, colocou a mão por baixo da sua saia e a penetrou com os dedos".

As últimas semanas colocaram Portugal nos holofotes, visto como o país que melhor tem enfrentado a crise provocada pela onda do Covid-19. Com um presidente que foi o primeiro a entrar em quarentena, para dar o exemplo, os portugueses conseguiram índices de contaminação bem mais baixos que outros países europeus, como Espanha e Itália, sem passar pela crise de lotação hospitalar, mesmo com menos leitos per capita que seus vizinhos. E estão vendo chegar a curva de saída do isolamento antes.

Embora Portugal sofra com a crise econômica na esteira da pandemia, especialmente com a fuga das receitas de turismo, o governo de Marcelo Rebelo de Sousa foi firme no equacionamento de um plano de retomada, facilitado por uma dívida pública baixa, e que foi buscar recursos onde ninguém até agora ousou: os bancos. Para ele, depois de serem ajudadas pela sociedade na crise financeira de 2015, chegou a hora de as instituições financeiras arcarem com sua cota de sacrifício. "Os bancos estão em dívida com o país", disse. "Cada português contribuiu lá atrás para evitar o seu colapso."

O presidente Donald Trump afirou que quer afrouxar a políticas de isolamento nos Estados Unidos no final do mês, no que seria "a maior decisão que já tomei". Autoridades sanitárias americanas alertam para o aumento da infestação do Covid, liderada de longe hoje pelo país no mundo, com quase meio milhão de infectados até a sexta-feira, e 17 mil mortes.

Página 1 de 7