17 Out 2019

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, de 43 anos, foi escolhido pela academia sueca como Nobel da Paz de 2019, conforme anunciado nesta quinta-feira, por sua participação no fim do conflito entre Etiópia e a vizinha Eritreia.

Depois de muito rasgar seda para os Estados Unidos e o presidente americano, Doland Trump, Jair Bolsonaro acabou frustrado. Descobriu que é o interesse econômico, e não a bajulação, que decide as coisas no comércio bilateral.

Em uma carta à Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, negou apoio à candidatura brasileira para ingressar na entidade, como desejava o presidente brasileiro. Em vez disso, avalizou as candidaturas de Romênia e Argentina. 

A sede da Polícia em Paris virou cena de crime, nesta quinta-feira, dia 3. Um agente administrativo de 45 anos, atacou policiais com uma faca. Matou quatro pessoas e deixou outras feridas até ser abatido a tiros por outro agente.

O presidente americano, Donald trump, sempre manteve a postura de quem dá pouca importância ás ameaças ao seu governo - especialmente as tentativas dos democratas de iniciar contra ele um processo de impeachment por suposto apoio russo á sua campanha eleitoral. Agora, porém, a ameaça se materializou, com o epdido de abertura de processo de impedimento, anunciaod nesta terça-feira pela presidente da Câmara, Nancy Pelosi.

Depois do ataque com misseis a campos de petróleo na Arábia Saudita, a comunidade econômica internacional se deu conta de que o terror está longe de ser coisa do passado. E acendeu-se o suspense sobre o que acontecerá.

Após a declaração de moratória da dívida externa, a Argentina se dabte, a pouco menos de dois meses da próxima eleição presidencial.

Nesta quinta-feira, o presidente Maurício Macri fez um pronunciamento antes da abertura dos mercados para tentar diminuir o clima de instabilidade.

"É minha responsabilidade que esse período transcorra da melhor maneira possível", disse.

Depois de alguns países como Alemanha e Noruega anunciarem a suspensão de recursos para o Fundo Amazônia em retaliação a declarações do presidente Jair Bolsonaro, os líderes das sete grandes potencias, reunidos em Biarritz, na França, decidiram liberar 20 milhões de dólares para ajudar a combater os incêndios na floresta. Comuns nesta época do ano, eles se tornaram uma questão internacional - e mais uma zona de atrito criada por Bolsonaro, que afirmou desconfiar dos interesses por trás de tal ajuda, dentro de seu discurso de jogar o Brasil contra o mundo, usando a soberanianacional sobre a Amazônia brasileira como mais um perigo para justificar um regime autoritário.

O grande problema de trocar a inteligência pela truculência é receber a truculência de volta. No caso do presidente Jair Bolsonaro, que tratou o problema global do meio ambiente com descaso e insolência imperial, a reação tem escala planetária. Na esteira da notícia de queimadas na Amazônia, autoridades ambientais e de governo, além da imprensa internacional, agora colocam tudo na conta do presidente, alvo central de manifestações nesta sexta-feira em cidades da Europa e da Ásia.

Já dono de grande rejeição dentro do país, Bolsonaro passou também a ser o inimigo número 1 mundial. Na sexta à noite, tentou melhorar as coisas num pronunciamento pela TV, que não mudou muito sua situação. "Tenho profundo amor e respeito pela Amazônia", disse o presidente. "Proteger a Amazônia é nosso dever."

Pressionado pelas urnas, que revelaram uma larga vantagem do candidato de oposição Alberto Fernández nas eleições primárias para o pleito a ser realizado em outubro, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou nesta quarta-feira um pacote de medidas econômicas para tentar virar o jogo eleitoral.

O receio pela volta do kirchnerismo fez também as bolsas caírem e o peso argentino ser desvalorizado em 25% nesta segunda-feira, depois que o peronista Alberto Fernández recebeu 47% dos votos nas eleições primárias para a Presidência da Argentina, este final de semana. O atual presidente, Mauricio Macri, ficou com 32%. O primeiro turno das eleições gerais está marcado para 27 de outubro.

Como as candidaturas já estavam definidas, as primárias não tiveram influência de disputas internas e os votos são considerados como uma escala real das preferências do eleitorado, dois meses e meio antes das eleições gerais.

Página 1 de 6