15 Set 2019

No projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para o ano que vem, o governo inseriu a proposta de aumento de 5,03% no salário mínimo, de 954 para 1002 reais. Com influência sobre os ganhos de 45 milhões de trabalhadores, e impacto direto nas contas do governo, o reajuste previsto deve ficar acima do crescimento do PIB, previsto em 3%, e da inflação no ano, prevista em 3,6%.

Assim, o governo de Michel Temer fica mais parecido com o de Dilma Rousseff, com uma medida populista que gerará um aumento de 14 bilhões de reais nos gastos públicos. Seria um tiro no pé do próprio governo, que complica o esforço de contenção feito até aqui. Mas esse será, claro, um problema para o próximo presidente.

Com a saída de Henrique Meirelles para concorrer às próximas eleições, o presidente Michel Temer nomeou, por indicação do próprio Meirelles, Eduardo Refinetti Guardia, que ocupava o cargo de secretário executivo da pasta desde junho de 2016. Um homem também do mercado financeiro que saltou para  setor público, sinalizador de que nada muda na política econômica nesses últimos e provavelmente agitados últimos nove meses de governo.

Depois de comprar no ano passado o projeto do Porto de São Luís, no Maranhão, a China Communications Construction Company (CCCC) está prestes a adquirir o Terminal Graneleiro da Babitonga (TGB), em Santa catarina. É um investimento de 1 bilhão  de reais a ser feito em São Francisco do Sul, Santa Catarina (SC). Com isso, os chineses vão avançando nos negócios brasileiros, concentrados soobretudo nos grandes investimentos me infra-estrutura.

O presidente americano, Donald Trump, chegou ao poder dizendo que fecharia o país em todos os sentidos - da construção de um muro na fronteira do México à criação de barreiras protecionistas, bem como o aumento da taxação de aço importado para favorecer a indústria interna.

O governo federal tem dificuldade na concessão de estradas para a iniciativa privada, mas ela avança nos estados. Os leilões rodoviários  para este ano somam cerca de 14,5 bilhões de reais, que permitirão investir em obras e manutenção de estradas pelos próximos 30 anos, segundo levantamento do jornal Folha de S. Paulo.

Na mira do governo para uma ampla privatização do sistema, a Eletrobras fechou 2017 com um prejuízo de 1,726 bilhão de reais em 2017, depois de ter lucro líquido de 3,513 bilhões em 2016, segundo informou a estatal. Sem dinheiro para investir, com obras paralisadas, brigas com sócios na Justiça e um bloqueio da oposição ao projeto de privatização, a estatal se encontra no limiar de uma pane geral. 

Com a inflação em baixa, o Banco Central anunciou nesta quarta-feira  o 12º corte consecutivo dos juros básicos da economia. A Selic caiu 0,25 ponto porcentual e passou de 6,75% para 6,5% ao ano, o menor nível desde a criação da taxa, em 1996.

 O último ranking dos bilionários da revista Forbes perdeu uma centena e meia de nomes brasileiros, que entraram na lista entre 2014 e 2018, e saíram agora, com a crise econômica e a operação Lava Jato: caíram como subiram, feito meteoros.

A prisão nesta segunda-feira de Pedro Andrade Faria, presidente do frigorífico BRF entre 2015 e dezembro de 2017, além de outros dez diretores da empresa, numa grande operação da Polícia Federal que apurou fraudes laboratoriais para a venda de produtos da empresa burlando a fiscalização, mostra como uma parcela do empresariado brasileiro se deteriora além da corrupção do setor público. Dona de marcas populares como Sadia e Perdigão, a BRF emaranhou-se em um festival de crimes contra o consumidor, administração danosa e dívidas bilionárias, que desmoralizam não apenas a empresa como o presidente do seu Conselho de Administração, Abílio Diniz, ícone de uma elite que vai sendo pendurada no açougue onde se abatem a incompetência e a picaretagem.

A notícia de que o Produto Interno Bruto cresceu 1% em 2017 confirma a sensação de que o país freou o trem que rumava para o descarrilhamento, depois de dois anos com quedas sucessivas de mais de 3%. A taxa de 1% tecnicamente significa que o país continua em recessão, já que para que a renda per capita crescer é preciso pelo menos 3% a 4% positivos ao ano. Porém, mostra qual é o caminho para a recuperação - e dá uma vitória ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que afirma estar mais perto de ficar no PSB que mudar para o MDB do presidente Michel Temer, mantendo aberta a possibilidade de concorrer em outubro à presidência, independente do que fizer o próprio Temer.