18 Mar 2019

Fretes terão aumento, e informação será a melhor proteção

Por   Seg, 11-Mar-2019

Está previsto para a semana que vem o lançamento de uma plataforma que promete cruzar dados do mercado de transporte marítimo e movimentação portuária, munindo os profissionais de logística com ferramentas suficientes para diagnosticar o mercado e melhorar decisões, estratégias e negociações. 

Segundo Leandro Carelli Barreto, sócio da Solve Shipping e um dos criadores da ferramenta batizada de SIP (Shipping Intelligence Platform), o produto deve proporcionar uma importante economia de tempo e dinheiro aos executivos de logística, comércio exterior, commodities, investimentos e outras áreas.

Desde a crise internacional de 2008, o setor vem passando por profundas transformações. Houve um descolamento estrutural entre a oferta e a demanda, além do aumento do combustível, que culminaram em uma drástica redução da quantidade de serviços. Além disso, o tempo das viagens dos navios foi aumentado, ao passo que a qualidade dos serviços prestados foi decaindo. Com isso, diminuiu também o poder de negociação dos donos de carga, bem como sua a capacidade de planejamento.

É verdade que as empresas de navegação estão numa enorme batalha para reverter os prejuízos acumulados ao longo da última década, e uma sequência de mudanças estruturais está sendo realizada, incluindo a construção de meganavios, a formação de grandes consórcios, o slowsteaming (redução da velocidade dos navios), fusões e aquisições, entre outras. Contudo, muitas dessas mudanças estão afetando outros elos da cadeia logística, notadamente os terminais, que estão operando com muito volume concentrado e menos escalas.

Para o dono da carga, houve uma mudança também no tempo de viagem e, por consequência, nos custos de inventário. Ou seja: se por um lado os fretes marítimos caíram nos últimos dez anos, por outro a logística terrestre encareceu bastante.

Hoje, mais de noventa por cento de tudo o que se come, veste ou utiliza é transportado de alguma forma. O transporte de cargas, especialmente o marítimo, é crucial para o comércio global de mercadorias, e está diretamente ligado à composição da cadeia de valor das empresas, em diversos setores da economia. “É necessário que a empresa esteja apta a interpretar e adaptar-se às transformações pelas quais o comércio exterior e a logística estão passando”, explica Leandro Barreto.

“A plataforma da Solve Shipping promete auxiliar no processo, de modo a ‘traduzir e interpretar’ esse mercado, até porque as transformações não param por aí”, diz o especialista, mencionando a chegada da revolução digital que implantará a Logística 4.0, além de exigências ambientais que mudarão o combustível dos navios a partir de janeiro de 2020. Com o reequilíbrio entre a oferta e a demanda de navios, o cenário tende a se mostrar bastante desafiador nos próximos anos.

A plataforma da Solve transforma informações em índices, permitindo a comparação entre painéis de indicadores, oferecendo assim um recurso de barganha que torna públicas as informações possivelmente utilizadas como argumentos nas negociações de preço.

A previsão é de que os fretes marítimos devam voltar a subir nos próximos anos. O que os armadores encontrarão, segundo a Solve Shipping, será um cliente mais bem preparado e informado. “Entre as grandes questões que a nova ferramenta se propõe a ajudar a responder estão: quando, quanto e em quais rotas os fretes devem subir”, desafia Leandro Barreto.

A SIP será lançada durante a Feira Intermodal, que acontece em São Paulo entre 19 e 21 de março.