19 Set 2019
Aloysio Azevedo

Aloysio Azevedo

Cientista político e consultor especializado em estratégia e formação de lideranças. Representou o Brasil no Conselho da OIT, em Genebra. Assessorou vários órgão públicos federais e municipais, sindicatos e partidos políticos. Foi coautor da Emenda pelas eleições diretas de governadores, junto ao então senador Franco Montoro. Criou a divisão de Projetos especiais da TV Globo. Colaborou com artigos e palestras para diversos veículos de comunicação e educação.

Uma das questões que mais intriga os analistas políticos atualmente é compreender a dificuldade que o governo está encontrando para formar uma base parlamentar que lhe garanta a aprovação de sua reforma da Previdência, já que, “segundo o empresariado, a imprensa e a maioria dos políticos, o capital só espera essa aprovação para inundar o Brasil de investimentos e criar milhões de empregos aqui”.

Quarta, 27 Março 2019 22:05

"Articulando" a nova política

Graças à eleição de Bolsonaro para a Presidência, dois procedimentos de gestão política passaram a ser discutidos: o que seria a “nova política” e qual é o entendimento de “articulação política”.

Terça, 26 Fevereiro 2019 20:51

Um esboço de governo

Após derrotar as esquerdas com uma plataforma ideológica radical, o governo Bolsonaro amadurece seu programa de atuação política com definições que vale a pena discutir.

Segunda, 18 Fevereiro 2019 22:59

A reforma da Previdência corre risco

A Reforma da Previdência é um passo muito mais importante para a boa definição do nosso futuro do que ela representa para a solução do nosso problema fiscal, embora essa reforma seja também vital para o equilíbrio de nossas contas.

Quarta, 13 Fevereiro 2019 09:40

"É preciso levar vantagem em tudo, cerrrto?"

Esse é o enunciado da famosa Lei de Gerson, criado por um publicitário para uma marca de cigarro, explorando o sucesso da seleção campeã de 70 e de seu admirável armador. Esse lema, que envolveu inconscientemente o nome do jogador, sintetizou com precisão o espírito do regime PATRIMONIALISTA, impregnando, não apenas nossas relações estatais, mas também setores majoritários da sociedade brasileira.

Da corrupção sistêmica, denunciada no mensalão e na Lava Jato, explicitando o conluio criminoso de políticos e funcionários públicos com empreiteiros, passando por toda sorte de privilégios adquiridos pelas poderosas CORPORAÇÕES ESTATAIS e coligadas privadas, até os malfeitos perpetrados com naturalidade por amplas camadas populares, a esperteza plasmou a nossa cultura e se enraizou nas nossas práticas.

Segunda, 04 Fevereiro 2019 18:33

"Mariana nunca mais"

Com essa frase de grande impacto e reconfortante promessa, o recém-empossado presidente da Vale, Fábio Schvartsman, respondeu ao desastroso crime ambiental da região de Mariana.

Segunda, 28 Janeiro 2019 00:55

Os dois generais Mourão são o mesmo

Não é normal um militar incapacitado fisicamente permanecer na ativa, como é o caso do general Villas Boas, preso a uma cadeira de rodas em razão de doença degenerativa.

Com o tempo, descobrimos que aquela excepcionalidade preservava na função não apenas um comandante, mas uma legítima liderança da Força, que fizera uma profunda autocrítica do período militar, colocando pela primeira vez as FA a salvo de aventuras golpistas.

Segunda, 21 Janeiro 2019 21:09

A pressão sobre a família na era Bolsonaro

Um novo amigo, psicólogo influente na corporação profissional, mas um espirituoso gozador no trato cotidiano, excelente pessoa, pediu-me, certo dia e para minha surpresa, uma opinião sobre a família. 

Sábado, 12 Janeiro 2019 08:30

O porta-voz

Os jornalistas que têm acesso às autoridades estão dizendo que o governo discute a possibilidade de nomeação de um porta-voz para o presidente Bolsonaro comunicar as questões mais importantes, unificando a mensagem oficial e evitando controvérsias desgastantes, como as que se verificaram nos últimos dias.

Sexta, 04 Janeiro 2019 21:54

Na "bamba" vai

Lá em Minas, a palavra bamba qualifica normalmente uma pessoa habilidosa, mas tem também um significado temporal ou circunstancial. Daquela que “ganhou na sorte” ou “por acaso”, se diz: ganhou na bamba. E não tem nada a ver com jogo ou casamento, e sim com o imprevisto!

É o caso do então juiz Sérgio Moro, que presidia a investigação do rumoroso Banestado, provavelmente o nosso maior escândalo do mundo financeiro, totalmente impune. O principal doleiro implicado era o conhecido Youssef, que fez com o nosso juiz um acordo de delação premiada esclarecedor e que acabou inútil, pois as “celebridades” meliantes escaparam, levando junto o doleiro. Jura eterna do nosso juiz!!!

Página 1 de 6