16 Nov 2019
A República

A República

A briga fatricida no PSL criada pelo presidente Jair Bolsonaro acabou jogando a milícia virtual bolsonarista contra aqueles que até a semana passada o apoiavam - e os dissidentes trataram também de expô-la à luz do dia. Foi o caso da deputada Joice Hasselman, que votou pela permanência do deputado Waldir (PSL-GO) na liderança do partido, contra o presidente. O posto acabou ficando com Eduardo Bolsonaro, que assim desistiu de ser embaixador em Washington. Joice foi destituída da liderança do governo no Congresso e passou a atirar contra o presidente, da qual sempre foi uma das grandes defensoras, e contra o próprio Eduardo.

"Nao tenho medo de você, moleque", disparou contra Eduardo. Acusou-o de usar "robôs, neuróticos e paus-mandados" na guerrilha virtual, "pagos com dinheiro público". E afirmou que o presidente, dessa forma, "ficará sozinho".

A República promove a campanha #FimDaMiseria. Vai publicar diariamente uma foto da dramática situação dos abandonados nas ruas do país.

Leitores podem colaborar. Mande sua foto para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Identifique o local da foto e a autoria. Você poderá acessar a página Fim da Miséria no Facebook e fazer a postagem também lá.

Nosso objetivo é chamar a atenção dos cidadãos e autoridades para o alarmante abandono da população mais pobre em todo o país. Isto tem de mudar.

Contribua. Coloque o que você vê na rua para que todos vejam. É o primeiro passo para a solução.

Sexta, 18 Outubro 2019 14:54

Justiça para Temer

Sexta, 18 Outubro 2019 13:41

Apoio a Bolsonaro desmorona ao seu redor

Acabou mal para o presidente Jair Bolsonaro sua tentativa de tomar o PSL do  seu presidente, Luciano Bivar, com a dupla de intenção de apoderar-se dos recursos do partido e tornar a legenda mais a cara da "direita" com ele sonha - sem vínculo com candidatos laranjas e jeito de arco-íris ideológico. Num só movimento, o presidente na prática desmontou esta semana, num efeito dominó, a maior parte do que lhe restava de apoio político.

Primeiro, acabou perdendo o que tinha dentro do próprio partido. Seus dois filhos foram destituídos da liderança regional do PSL -  o senador Flávio no Rio, e o deputado Eduardo em São Paulo. Ao mesmo tempo, o presidente ganhou outro inimigo gratuito e perigoso, ao trocar sua liderança no Congresso. Entrou um deputado do MDB, Eduardo Gomes, e saiu Joice Hasselman, maior influencer digital dentro do PSL, dizendo que "a traição é o modus operandi do governo". 

Ao acenar com apoio aos ministros do Supremo Tribunal Federal que querem eliminar a prisão após a segunda instância, Bolsonaro perdeu ainda muito mais. Retribuiu a gentileza dos ministros que formam a maioria da Segunda Turma, que suspendeu as investigações sobre seu filho Flávio. Com isso, porém, Bolsonaro minou a confiança do eleitorado que via nele o capitão caçador de bandidos - e tudo indica que também a dos militares.

Quinta, 17 Outubro 2019 19:23

Juiz inocenta Temer e desmoraliza Janot

O juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal, absolveu nesta quarta-feira o ex-presidente Michel Temer de “obstrução de Justiça”. A denúncia partiu de denúncia do então procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, por conta da gravaçao de uma conversa de Temer com Joesley Batista, dono da JBS. Para o juiz, que analisou a gravação original, não houve crime. Pelo contrário, apontou uma iniciativa danosa de Janot, prejudicial ao presidente.

Um prédio residencial de sete andares desabou na manhã desta terça-feira entre as ruas Tibúrcio Cavalcante e Tomás Acioli, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza.

O Corpo de Bombeiros registrou dois mortos. Nove pessoas ainda estao desaparecidas. "Temos uma relação de nove nomes, fornecidos por familiares, que poderão ou não estar no local", disse o chefe da operação de resgate, o coronel Cleyton Bezerra.

Bezerra informou que ainda há risco de novos desabamentos. "O prédio pode vir ainda a colapsar...Tem bolsões [de ar] que inspiram cuidados", disse.

A República promove a campanha #FimDaMiseria. Vai publicar diariamente uma foto da dramática situação dos abandonados nas ruas do país.

Leitores podem colaborar. Mande sua foto para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Identifique o local da foto e a autoria. Você poderá acessar a página Fim da Miséria no Facebook e fazer a postagem também lá.

Nosso objetivo é chamar a atenção dos cidadãos e autoridades para o alarmante abandono da população mais pobre em todo o país. Isto tem de mudar.

Contribua. Coloque o que você vê na rua para que todos vejam. É o primeiro passo para a solução.

 

Terça, 15 Outubro 2019 11:40

Polícia Federal devassa presidente do PSL

Na manhã desta terça-feira, a Polícia Federal realizou uma operação de busca e apreensão em escritórios ligados ao deputado federal Luciano Bivar, presidente do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.O mandado, expedido pelo Tribunal Regional Eleitoral do estado, atende a pedidos da polícia e do Ministério Público na investigação sobre os laranjas utilizados para desviar dinheiro do fundo partidário em 2018. A casa de Bivar em Recife também foi alvo da PF. 

Terça, 15 Outubro 2019 11:38

Tudo por dinheiro no PSL

Em um relatório dirigido a seus investidores, com o título "Brasil: cenário positivo para 2019 e 2020", datado de 11 de setembro, o Credit Suisse, um dos principais bancos suíços, voltou a recomendar o Brasil aos seus investidores. No relatório, o banco reúne elementos para mostrar o país novamente como um bom destino para os recursos internacionais. O movimento pode ser considerado um primeiro ponto de inflexão na curva dos investimentos no país, em queda desde a crise do setor público no governo de Dilma Rousseff, mesmo com as reformas na gestão Temer. Uma reativação que  demorava a acontecer, mesmo com a política liberal e de austeridade do ministro Paulo Guedes no governo Bolsonaro.

Essenciais para a retomada do crescimento, os investimentos tanto nacionais quanto estrangeiros dependem não somente das condições econômicas objetivas como de vantagens competitiva no cenário mundial e de uma certa barreira psicológica de confiança - que o relatório suíço começa a quebrar.