20 Fev 2019
A República

A República

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, foi preso nesta terça-feira, com outros nove investigada na chamada Operação Fantoche da Polícia Federal, que investiga um esquema de corrupção envolvendo com o Sistema S e o Ministério do Turismo, no valor total de R$ 400 milhões. 

Terça, 19 Fevereiro 2019 13:11

Pra não dizer que esqueceram do PSDB

Para não dizer que esqueceram do PSDB, a Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, dia 19, uma operação para investigar os contratos da Dersa em governos tucanos. Pela terceira vez, prenderam o ex-diretor da Dersa Paulo Preto, acusado de operar um caixa 2 para o partido com dinheiro de empreiteiras, sobretudo a Odebrecht.

Investigado, o ex-chanceler, ex-senador Aloysio Nunes Ferreira pediu demissão do governo de São Paulo, onde presidia a Investe SP, agência de estímulo a investimentos no estado.

Não acabou com a demissão do ministro Gustavo Bebianno a crise do desvio de dinheiro do fundo partidário no PSL. Outro ministro do governo Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio, do Turismo, é acusado de conhecer e ter se beneficiado das mesmas práticas, no que se apresenta como um amplo esquema utilizado pelo partido na eleição do ano passado, quando a legenda estava sob o comando de Bebianno.

 

Uma grande operação militar começou em Porto Velho, com a 17ª Brigada de Infantaria de Selva do Exército, encarregada de proteger o presídio federal de Porto Velho, para onde foram transferidos Marcos Camacho, o Marcola, e outros líderes do PCC.

Segunda, 18 Fevereiro 2019 17:26

O caos também no esporte

Uma confusão sobre os lugares nas arquibancadas ocupadas pelas torcidas de Vasco e Fluminense neste domingo, decisão da Taça Guanabara, quase acabaou em tragédia. O Vasco ganhou o jogo e o título, mas a sensação foi de que todos perderam.

Segunda, 18 Fevereiro 2019 16:59

Governo defende cota dos militares na USP

Entre suas promessas de campanha, o presidente Jair Bolsonaro sinalizou para o fim dos sistemas de cotas, como o que estipula um número de vagas em universidades para determinados grupos, entre eles os estudantes negros. Fazia parte de seu pacote contra o "coitadismo" nacional e em prol da valorização do mérito, sem discriminação nem criação de benefícios para minorias que acabam instituindo privilégios.

O ministro da Educação, o colombiano naturalizado Ricardo Vélez Rodríguez, pediu desculpas nesta segunda-feira pelo Twitter, por ter declarado em entrevista à revista "Veja" no início do mês que "brasileiro viajando é um canibal", por roubar itens em hotéis e aviões.

Segunda, 18 Fevereiro 2019 14:07

Vazando

O presidente Jair Bolsonaro terá de reconstruir rápido sua base de apoio, após o abalo sofrido no seu partido, que resultou na demissão do ex-presidente da legenda e ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno.

Com sua saída, em crise iniciada com a a denúncia do uso de laranjas para desviar dinheiro do fundo partidário em campanhas do PSL no ano passado, seguida pelo confronto com o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, que saiu atirando contra Bebianno nas redes sociais, o partido se dividiu entre bolsonaristas incondicionais e aqueles que perderam a confiança tanto na legenda quanto por conta da influência dos filhos junto ao presidente.

E isso bem na hora em que o governo está enviando ao Congresso o projeto anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e a reforma da Previdência, elaborada pela equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Nesta segunda-feira, o Diário Oficial deve sacramentar a demissão do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, ex-presidente do PSL. Depois de uma troca pública de tiros dentro do governo, da qual participaram o próprio presidente Jair Bolsonaro e seu filho Carlos, Bebianno sai. O desfecho de todo o episódio, porém, não é bom para ninguém.

Página 1 de 89