24 Abr 2019

Polícia prende suspeitos de auxiliarem massacre em Suzano

  Qui, 11-Abr-2019
Armamento apreendido com os suspeitos: envolvimento Armamento apreendido com os suspeitos: envolvimento

Três suspeitos de colaborarem com o massacre na escola de Suzano, em São Paulo, foram presos pela Polícia Civil, em caráter preventivo, por 30 dias.

Cristiano Cardias de Souza, Thatiano Oliveira de Queiroz e Adeilton Pereira dos Santos foram detidos após investigações complentares ao assassinato de oito pessoas na escola de Suzano, das quais seis adolescentes, além dos dois assassinos, que se suicidaram.

Cristiano é suspeito de fornecer arma e munição para os autores do massacre, que completa um mês no próximo sábado. O processo e as investigações sobre o massacre são mantidos sob sigilo, de maneira que ainda não se sabe quais pistas levaram aos três homens.

Além deles, um adolescente está preso desde 19 de março por suspeita de participar do crime.

Cinco estudantes e duas funcionárias da escola estadual Raul Brasil foram mortos por dois ex-alunos da instituição na manhã do dia 13 de março. Onze estudantes ficaram feridos.

O tio de um dos assassinos foi morto minutos antes em uma loja de carros. Os assassinos, de 25 e 17 anos, moravam na mesma rua em Suzano e jogavam juntos videogame. Em cadernos encontrados pela polícia, um dos assassinos desenhou armas e homens encapuzados e escreveu palavras de ódio, além de anotações que trazem as "regras do jogo", em referência a táticas de games.