18 Out 2021

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), autorizou a abertura de um inquérito para apurar as acusações feitas por Sergio Moro contra o presidente Jair Bolsonaro de querer manioular a Polícia Federal em benfício próprio. Para isso, o queria obrigar à troca no comando do órgão de alguém que lhe pudesse repassar informações e com quem pudesse conversar diretamente. Após a saída de Moro do governo, Bolsonaro colocou na direção-geral da PF o ex-chefe da Abin, o serviço de informação do presidente, que já havia trabalhado como chefe da sua segurança pessoal, desde o atentado em Juiz de Fora.

O médico baiano Gilmar Calasans Lima, 55 anos, morreu 45 minutos depois de entrar pela emergência do Hospital da Costa do Cacau, em Ilhéus. De acordo com o secretário de Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, Lima automedicava-se do coronavírus, tratando-se com hidroxicloroquina, causa de uma parada cardiorrespiratória.

Um movimento de motoboys nesta segunda-feira um em São Paulo apontou para a necessidade de melhores condições de segurança no trabalho na pandemia do Covid-19. Segundo eles, agora um serviço essencial no meio da pandemia, o risco é alto e o ganho é pouco.

A escrivã de polícia Raquel Monteiro de Albuquerque, 48 anos, morreu no sábado à noite na porta do Hospital Dom Zico, em Belém, capital do Pará. Um caso que ostra bem o drama das cidades onde o atendimento médico já é insuficiente diante da progressão da pandemia do coronavírus.

A pandemia do covid-19 se esoalha agora na periferia das grandes cidades. É o que indica o aumento do número de mortes em São Paulo, que cresceu subir 81,7%. De acordo com o UOL, somente na Brasilândia, bairro da zona norte, foram registrados 33 óbitos, levando ao limite o trabalho em cemitérios como o da Vila Formosa.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, demitiu nesta segunda-feira (13) o diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Olivaldi Alves Borges de Azevedo.

No domingo, o Fantástico, da TV Globo, exibiu uma reportagem sobre uma operação de combate ao garimpo ilegal em terras indígenas, coordenada pela diretoria de Olivaldi.

De acordo com o site Congresso em Foco, o presidente Jair Bolsonaro determinou a demissão ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, porque os agentes teriam queimado tratores e outros equipamentos usados no garimpo ilegal.

Em novembro passado, o presidente prometeu a garimpeiros que proibiria a queima de maquinário ilegal apreendido em ações de fiscalização. Com isso, dá a possibilidade de que retornem às suas atividades.

Nomeado por Salles, Olivaldi realizou a operação em três terras indígenas no sul do Pará, onde vivem cerca de 1.700 índios. As invasões de terras indígenas aumentaram desde o início da pandemia de covid-19. E há risco de contaminação de índios, de forma que o Ibama procura evitar o contato.

Para realizar a operação, os agentes do Ibama ficaram 14 dias em quarentena.

O boletim JAMA, relatório técnico de circulação no meio médico, apontou resultados das drogas já experimentadas contra o Convid-19. Alertou que ainda não existe um remédio comprovado contra a doença e não recomendou a hidroxicloroquina tanto no tratamento como na prevenção, pelo agravante de produzir efeitos colaterais que obrigaram à suspensão do tratamento em pacientes já testados. Por outro lado, o relatório apontou resultados "promissores" contra o Covid-19 com o uso do Remdesivir, droga inibidora da mutiplicação de vírus do tipo corona,  testada e utilizada no tratamento do ebola. 

A Justiça do Rio de Janeiro abriu um precedente na quinta-feira ao proibir a Assembleia de Deus Vitória em Cristo, do pastor bolsonarista Silas Malafaia, de realizar cultos durante a pandemia do coronavírus. Abriu um precedente no direito constitucional de ir e vir, invocado nesta sexta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro, que, em plena Sexta-feira Santa, saiu novamente pelas ruas de Brasília, cumprimentando populares - incluindo uma idosa, depois de passar a mão no nariz, conforme registrado pela TV Globo. As forças do fanatismo religioso e político se transformam em ameaça à sociedade, no momento em que a pandemia entra em espiral no Brasil,  nesta sexta-feira passamos de mil mortos, em 19.638 casos oficiais.

Maior favela do país, a Rocinha, no Rio de Janeiro, tem 50 atendimentos diários com suspeita de Covid e as duas primeiras mortes registradas nesta quarta-feira. A concentração de pessoas e a falta de assistência, além do desentendimento quanto à necessidade do isolamento domiciliar., tornam a situação nas favelas potencialmente explosiva.

Desde o início da epidemia do Covid-19, difundiu-se que o maior risco, de acordo com as estatísticas, estava nos pacientes mais idosos, portanto com menos resistência, assim como pessoas fragilizadas por doenças pré-existentes. Ainda assim, não se entendia como ou por que o virus fazia também cerca de 20% de suas vítimas entre pessoas com menos de 60 anos, algumas delas bastante jovens. A partir do exame dos casos conhecidos no Brasil, agora que o número de vítimas aumenta de forma exponencial, os médicos já têm uma ideia melhor de quais são os complicadores que podem fazer qualquer um morrer por conta do vírus mutante - em qualquer idade.