23 Jul 2019

Acusado de estupro, Neymar volta à seleção cercado pela turbulência

  Seg, 03-Jun-2019

O atacante Neymar Júnior retornou à seleção brasileira, que treina para a Copa América na Granja Comary, no rio de Janeiro, em meio à trubulênvia. acusado de estupro por uma mulher de São Paulo, que viajou a Paris e ficou num hotel às suas custas, ele passou também a ser acusado de divulgar fotos íntimas dela, na tentativa de defender-se.

"Eu prefiro um crime de internet ao de estupro", disse Neymar Santos Silva, pai do jogador, em entrevista ao programa "Aqui na Band".

Negou ter acontecido o estupro e justificou o segundo erro. "Ele preservou a imagem, o nome", disse Neymar, pai. "Ele precisava se defender rapidamente. É melhor ser verdadeiro e mostrar o que aconteceu. Sabíamos da chantagem, mas não da coragem de fazer um B.O. em cima de uma situação dessas."

Neymar alega que está sendo chantageado pela mulher, uma paulista que, segundo familiares, vive de "fazer fotos", tem um filho de cinco anos e tem sua identidade preservada - ao contrário do que ocorre com o jogador, que já foi exposto publicamente.

De acordo com a acusação, a mulher teria sido convidada por Neymar para ir a Paris pela rede social. Lá, hospedou-se a convite do jogador em um hotel. No encontro, porém, Neymar teria aparecido agitado e agressivo.

O sexo forçado tem como evidências fotos de marcas roxas nas nádegas e coxas, anexadas ao depoimento da acusação, registrada em São Paulo.

"Quando a gente percebeu que chegaria a público através de uma extorsão, procuramos nossos advogados, recebemos essas pessoas para saber o que elas queriam", disse Neymar, pai. "Quando fomos informados, vimos que era dinheiro e negamos. Fui procurado por um advogado que se dizia representante dessa moça."

Segundo ele, houve um segundo encontro com a mulher, no dia seguinte ao do encontro e suposto estupro. "Ela queria de qualquer jeito que ele fosse ao hotel de novo", afirmou. E narrou o restante:

"Ele foi e ficou 10 minutos no segundo dia. Viu o celular em pé na parede, carregando, percebeu que estava filmando. Ela mandou mensagem dizendo que tem esse vídeo. Ela agride ele, ele se joga para a cama e tenta acalmar ela. Pede para ela não criar confusão. Ele acalma ela, sai do hotel e emite a passagem do retorno. O Neymar também tentou filmar, gravar a conversa. Mas ele erra tudo. Bota o celular no bolso, e não consegue. Ali ele viu que podia ser uma armadilha. Depois desse segundo encontro eles não se falam mais. Ela ainda mandou mensagens ameaçadoras depois".

Aos 27 anos, Neymar é a principal estrela da seleção brasileira, mas não se consegue se afastar de problemas extra-campo. Sua empresa, administrada pelo pai, já foi acusada de sonegação fiscal pela operação de vend aao Barcelona, resolvida com o pagamento de multa ao Fisco.

O simples fato de a mulher ter ido ao encontro de Neymar no hotel e tê-lo recebido no quarto não significa consentimento. É a mesma situação do boxeador Mike Tyson, acusado de ter estuprado a modelo desiree Washington aos 25 aos de idade, num quarto de hotel em Indianápolis.

Na ocasião, Tyson também alegou ter sido atraído ao hotel em uma armadilha e que se chegou até ali era porque o sexo seria consensual. O tribunal considerou que a modelo podia ter mudado de ideia mesmo dentro do quarto. Tyson foi condenado, passou seis anos na prisão e, ao retornar, já não era o mesmo atleta que assombrara o mundo.

No Brasil, a exposição de jogador por conta de sua vid sexual está longe de ser novidade. Em 2008, o atacante Ronaldo Nazário, o "Fenômeno", também disse ter sido vítima de uma "armação" de um travesti, André Luis Robiro Albertino,  "Andréa".

Ele teria tentado extorquir dele 50 mil reais para evitar o vazamento de fotos de uma suruba em um motel na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Explicou ao delegado Carlos Augusto Nogueira que estava apenas "tentando se divertir e relaxar", por isso teria saído com "alguém fora do seu meio".

O técnico da seleção brasileira, Tite, disse que por enquanto nada muda: Neymar segue treinando. "Não vamos prejulgar", disse ele. Contudo, afirmou que, se é "imprescindível", Neymar não é "insubstituível".

A Nike, principal patrocinadora do jogador, publicou uma nota afirmando: "estamos profundamente preocupados com essas acusações".

O certo é que, se Neymar queria se divertir e relaxar,  as coisas saíram bem a contrário. E não será fácil manter a cabeça concentrada na atividade onde as alegrias são maiores que os problemas: o futebol.