18 Out 2021

A média semanal de mortes por Covid-19 no Brasil caiu a 367 nesta terça-feira, menor marca desde os 365 dia 12 de novembro do ano passado, quando foi de 365. Os dados são compilados junto às secretarias estaduais de saúde por um pool de veículos de imprensa desde que o Ministério da Saúde abdicou de centralizar os dados.

O presidente Jair Bolsonaro colhe maus resultados em diversas áreas - na economia, com inflação de 10% ao ano e desemprego recorde, nas pesquisas de opinião, onde a avaliação do governi piora rapidamente, e na política, assediado pela Justiça e encilhado pelo Congresso. O presidente só vai bem na área em que atua com eficiência: a divisão da sociedade, levando a discórdia aondevai. Foi o que ele fez nesta terça-feira, feriado de Nossa Senhora de Aparecida, símbolo de união e de fé brasileira, quando ele foi a Aparecida, levando consigo o pomo da discórdia.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura denunciou a morte de 200 mortes de voluntários de pesquisa clínica com a proxalutamida feita no Amazonas como uma uma violação aos direitos humanos e à éticas das "mais graves e sérias da história da América Latina".

A centralização do governo, na qual o presidente é obrigado a assinar tudo sobre qualquer assunto, o expõe também a situações constrangedoras, como é o caso da criação do Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual, aprovada na semana passada.

Bolsonaro resolveu meter sua colher e vetou, entre as medidas do Programa, a distribuição gratuita de absorventes para estudantes de escolas públicas e "mulheres em situação de vulnerabilidade".

A repercussão negativa obrigou o governo a recuar - na noite da sexta-feira, a Secom publicou uma nota oficial dizendo que o assunto será revisto e explicou que o veto se dava por "problemas técnicos e jurídicos quanto à sua aplicação".

A Polícia Civil do Distrito Federal fez uma blitz, no domingo, em uma chácara em Arniqueira, a 22 quilômetros de Brasília, e encontrou armas, munição e evidências de que o local serviu como centro de treinamento paramilitar para grupos extremistas conhecidos como "300 do Brasil, "patriotas" e "QG Rural". O 300 do Brasil é o grupo militante de Sara Winter, presa semana passada em inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal, que apura a instigação a um golpe para a instalação de uma ditadura, supostamente com apoio das Forças Armadas.

Sete estados sinalizam uma retração no percentual de contaminação na pandemia do coronavírus, de acordo com o projeto Covid-19 Analytics, índice feito pela PUC-Rio e a Fundação Getúlio Vargas.

A Polícia Federal prendeu na manhã desta segunda-feira a militante bolsonarista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, além de cinco outros integrantes do movimento auto-denominado "300 do Brasil". As prisões foram decretadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, a pedido da Procuradoria-Geral da República, no inquérito que apura manifestações a favor de um golpe de Estado em favor de Bolsonaro, com o fechamento de instituições da República, incluindo o próprio STF.

No sábado, Winter, que já apareceu em contas nas redes sociais empunhando pistolas e amaeaça autoridades publicamente, estava à frente da turba que alvejou no sábado o palácio do STF com uma bateria de fogos de artifício, em Brasília. O protesto contou com a complacência da Polícia Militar do Distrito Federal - o que alarmou os políticos, por conta de uma possível politização da corporação, ao mesmo tempo em que coloca o STF agindo praticamente em defesa própria.

O sol abriu, o termômetro marcou 32 graus e, apesar do feriado ter sido antecipado, os paulistanos aproveitaram o pretexto do Corpus Christi nesta quinta-feira para ir à praia, congestionando as estradas para o litoral norte. Não se tratava, como alegam muitos, de gente que precisa sair à rua por necessidade, para trabalhar. A rua 25 de Março, tradicional pelo comércio popular na capital paulista, encontrava-se lotada de gente fazendo compras. A rua Teodoro Sampaio, de comércio de móveis, também. havia filas em shoping centers, com gente fazendo compras de Dia dos namorados. Não há lei que proíba tal movimentação, mas não é difícil entender porque o Brasil vai rumando para ser o campeão da contaminação pelo Covid-19, numa combinação de desgoverno político com irresponsabilidade civil e social.

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta quinta-feira um acordo entre o Instituto Butantan, ligado ao governo paulista, e o laboratório chinês Sinovac Biotech para a produção de uma vacina para a covid-19. O Brasil participará da terceira fase de testes, com nove mil voluntários brasileiros. Caso a vacina seja aprovada em todo o processo, poderá estar disponível para aplicação até junho de 2021.

Um homem com uma faca invadiu o prédio da TV Globo no Jardim Botânico, Rio de Janeiro, e fez refém a jornalista Marina Araújo, na tarde desta quarta-feira (10).

A emissora informou que o caso foi resolvido e Marina se encontra bem. As imagens do circuito interno de segurança caíram no Twitter. Marina foi usada como escudo pelo invasor, um rapaz de máscara e chapéu pretos.

Página 1 de 24